Campos Neto defende melhora na narrativa sobre política fiscal e pauta ambiental

Ainda de acordo com o chefe da autoridade monetária, organismos internacionais já relataram, inclusive, a percepções de que o Brasil está "parado"

BC fará o que for preciso para ancorar expectativas de inflação, diz Campos Neto
BC fará o que for preciso para ancorar expectativas de inflação, diz Campos Neto 09/01/2020. REUTERS/Adriano Machado

Beatriz GurgelAnna Russida CNN

Brasília

Ouvir notícia

 

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, defendeu que o Brasil se esforce mais para melhorar a narrativa sobre a situação fiscal do país na visão de investidores estrangeiros. Outro ponto que, segundo ele, precisa ser melhorado na visão internacional, é a pauta ambiental.

“Acho que a imagem que investidores têm é menor que a coordenação que temos. Precisamos comunicar isso melhor”, avaliou nesta sexta-feira (27), em participação de evento da Febraban.

“Temos que continuar as reformas estruturantes, a parte fiscal, que tem melhorado, mas precisamos melhorar a narrativa. Temos que pensar no tema ambiental que também preocupa investidores. E mostrar coordenação no que temos feito”, defendeu.

Ainda de acordo com o chefe da autoridade monetária, organismos internacionais já relataram, inclusive, a percepções de que o Brasil está “parado”.

“Falei (em conversa com organismo internacional): te lanço um desafio, me diz um país dos 50 que você cobre que fez reformas estruturantes no meio da pandemia. E ele falou: mas que reforma vocês fizeram? Depois da quarta que eu falei, ele disse: vocês têm que trabalhar para melhorar a narrativa, porque, se isso tudo que você está falando é verdade, não é a percepção aqui fora”, contou.

Campos Neto ainda se disse “bastante empolgado” com as falas do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, que também participou do evento e reforçou o compromisso do Congresso em cumprir o teto de gastos.

Agenda sustentável

Na área ambiental e de sustentabilidade, o presidente do BC destacou a agenda da autoridade monetária. “É importante falarmos um pouco do que já fazemos na parte de renováveis e de crédito de carbono voluntário. Poucos lá fora sabem o que o Brasil tem avançado nesse sentido”, comentou.

“É um trabalho de todos e eu vou na COP 23 para avançar o discurso nesse sentido e apresentar uma agenda mais prática para melhorar a imagem do Brasil e isso dá para fazer com o que já temos hoje”, ressaltou.

Mais segurança no Pix

Sem dar detalhes, Campos Neto também adiantou que o BC deve apresentar, em breve, conjunto de novas medidas para elevar ainda mais a segurança do Pix. “Para que as pessoas saibam melhor como usar o Pix, bloquear o Pix em alguns horários. (A ideia é) aprimorar meios de pagamento para que formas de pagamento sejam mais seguras”, explicou.

“O Pix é mais rápido para rastrear e podemos remediar crimes de forma mais eficaz, ao contrário do que muitos pensam”, completou.

Mais Recentes da CNN