Carteira de dividendos: veja 5 ações recomendadas por corretoras para outubro

CNN Brasil Business reuniu recomendações de seis corretoras para mostrar as ações para quem quer receber dividendos

Investimentos
Investimentos Andre Taissin no Pexels

Tamires Vitoriodo CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

Os dividendos distribuídos pelas empresas de capital aberto entraram na mira da reforma tributária, que pretendia inicialmente taxá-los em 20%. No começo de setembro, porém, a Câmara dos Deputados reduziu a alíquota para 15%.

Agora, investidores estão de olho em como ficará essa questão, já que muitos concentram investimentos em empresas conhecidas pelo pagamento recorrente de dividendos robustos.

Não por um acaso, várias corretoras preparam mensalmente recomendações de investimentos desse tipo de ativo.

O CNN Brasil Business compilou dados de seis carteiras recomendadas para mostrar as cinco ações pagadoras de dividendos mais indicadas.

Na carteira estão ações de bancos, mineradora e empresas do setor de energia. A Taesa (TAE11) foi a empresa com o maior número de recomendações.

Confira a carteira de dividendos do CNN Brasil Business em outubro:

Taesa

Ação: TAEE11

Comentário: Analistas do BTG Pactual

“Olhando um pouco para o histórico de execução da Taesa, vemos que ao longo dos últimos anos ela conseguiu manter uma estabilidade positiva em sua receita líquida – o que demonstra a resiliência de seu modelo operacional e do setor de transmissão de energia, mesmo em momentos mais difíceis da economia – ao passo que conseguiu elevar sua margem líquida de 48% para 81%, com uma margem Ebitda estável próxima a 80% (maior Ebitda do setor de transmissão).

A companhia possui uma disciplina financeira muito forte, com um rígido controle de custos, a mais alta nota de crédito nas três agências de classificação de risco (Fitch, Standard & Poor´s e Moody´s) e uma alta diligência no processo de alocação de capital, buscando sempre bons projetos com alta rentabilidade.

Acreditamos que a Taesa continuará com um nível forte de eficiência operacional, entregando bons resultados nos trimestres à frente e, consequentemente, remunerando muito bem seus acionistas através da distribuição de proventos, o que abre espaço para uma forte expectativa do rendimento dos dividendos (dividend yield) de 15,4% para 2021.”

Vale

Ação: VALE3

Comentário: Analistas da Guide

“Temos uma visão construtiva para a Vale. Ressaltamos o foco do management no controle de custos, além da contínua redução de capex e endividamento. Além disso, os preços de minério continuam em patamares elevados (fruto da menor oferta no mercado), enquanto a empresa negocia a múltiplos descontados.

Alguns gatilhos são a forte valorização do minério no mercado internacional e a maior demanda da China por minério de maior qualidade, além das melhorias operacionais — que deverão compensar tais efeitos negativos e queda de produção—, e diversificação geográfica no Brasil bem verticalizada, contando com capacidade de transporte e remessa própria.

No resultado do trimestre, destacamos os maiores volumes de minerais ferrosos, com a melhora sazonal normal do período, além de preços de venda realizados 7,9% superiores aos do primeiro trimestre. Avaliamos a entrada em Vale nesse momento a patamares interessantes.”

Itaú Unibanco

Ação: ITUB4

Comentário: Analistas da Guide

“Vemos um cenário positivo para a expansão de crédito no segundo semestre, com destaque para os segmentos de pessoas físicas e PMEs. Devemos ver ainda um avanço nas receitas de serviços, com destaque para cartões, apesar da maior competição no setor.

Ressaltamos que o setor passa por diversos desafios: maior concorrência, com novos entrantes, desde fintechs à bancos digitais; Open Banking, que forçaria os bancos a disponibilizarem informações, quando solicitada pelo cliente, o que pode afetar uma das principais barreiras de entrada; e CSLL de bancos subindo de 20% para 25% aprovada em julho.

Olhando para frente, alguns triggers que sustentam nossa recomendação são: Banco Central aprovou cisão de participação na XP, destravando valor com a distribuição das ações da plataforma para os atuais acionistas; perspectiva de manutenção de dividendos em patamares atrativos; e possíveis aquisições, visto que o banco possui um ótimo histórico de M&A.”

Bradesco

Ação: BBDC4

Comentário: Analistas da Órama

“O Bradesco é um dos maiores bancos deste país, com o seu principal negócio na concessão de crédito, mas também em serviços financeiros, investment banking e seguros.

Há alguns fatores conjunturais atuando em favor do Bradesco. Dado o peso dos negócios de crédito e seguros no balanço do banco, ele deverá ser um dos maiores beneficiados da alta da Selic. Em paralelo, esperamos uma reversão parcial no pesado provisionamento feito ao longo de 2020, que deve também melhorar o resultado do banco.”

Companhia Energética de São Paulo

Ação: CESP6

Comentário: Analistas da Órama

“A Cesp é uma empresa geradora de energia recém-privatizada. A empresa tem um fluxo de caixa bem estável, vindo das usinas hidrelétricas que ela opera, em especial Porto Primavera.

Além do fluxo de caixa estável, a empresa tem também uma série de ativos e passivos judiciais bastante importantes, e nós aqui na Órama acreditamos que este componente está precificado de forma excessivamente conservadora.”

Mais Recentes da CNN