Casa que só existe em formato digital é vendida por mais de US$ 500 mil

A Mars House, a primeira casa digital NFT (sigla para “token não fungível”) do mundo, foi vendida por mais de US$ 500 mil

Lianne Kolirin, CNN

Ouvir notícia

Passar tanto tempo em casa no último ano fez com que muitas pessoas desejassem mudanças ao seu redor. Mas, se uma demão de tinta ou alguma renovação criativa não funcionar, existe agora uma alternativa mais extrema: a casa digital. 

A Mars House, a primeira casa digital NFT (sigla para “token não fungível”) do mundo, foi vendida por mais de US$ 500 mil.

Os NFTs chegaram às manchetes recentemente como forma de arte digital, como desenhos ou música, para serem vendidas exclusivamente online. Um NFT é um token digital exclusivo que verifica a autenticidade e a propriedade. 

Ele é criptografado com a assinatura do artista no blockchain, espécie de cartório digital. A plataforma também é usada para validar criptomoedas, como o bitcoin. 

O novo proprietário pagou à artista digital Krista Kim o valor de 288 Ether (criptomoeda), o que equivale a US$ 514.557,79 pela propriedade virtual. 

Em troca, o comprador receberá arquivos 3D para carregar em seu ‘Metaverso’. “O metaverso é uma extensão virtual do nosso mundo, onde lotes de terrenos virtuais são comprados e negociados, e casas e negócios digitais são construídos”, disse Kim à CNN.

Existe todo um mercado para ativos digitais, como moda e acessórios, onde os usuários podem viver e interagir em um metaverso por meio de seu avatar digital. Kim disse que o conceito por trás da casa foi “inspirado após ficar trancada durante a pandemia”. 

Casa NFT
Foto: Divulgação/Krista Kim

Kim, que se descreve como uma “artista do Techism”, disse à CNN que a “Mars House representa a próxima geração de NFTs. É um sinal do que está por vir, conforme entramos em um futuro com interface de ‘realidade aumentada’”, se referindo ao lançamento de óculos e lentes de contato da Apple.

“Arte, NFTs, criptomoedas… essas mudanças radicais e ideias de como viveremos com ativos digitais estão se tornando realidade e criarão uma mudança de paradigma global. Além disso, depois de sermos confinados devido à Covid-19, precisamos de ideias mais inovadoras. Nossos ambientes internos podem nos curar, já que a saúde mental se tornou uma preocupação primária para todos.” 

O objetivo da casa é “omitir uma atmosfera zen de cura”, disse Kim em um post no Instagram no início deste mês. A artista contou que fez uma parceria com o músico Jeff Schroeder, do The Smashing Pumpkins, para criar um acompanhamento musical que seja calmo e acolhedor.

Mês recorde para NFTs 

Na segunda-feira, o CEO do Twitter, Jack Dorsey, vendeu o primeiro tuíte publicado como um NFT por US$ 2,9 milhões. O tuíte, que dizia “apenas configurando meu twttr”, foi publicado em 21 de março de 2006. 

A primeira obra de arte NFT foi vendida por US$ 69 milhões em 11 de março, o que fez com que o artista Beeple se torna-se um dos artistas vivos mais caros até o momento. 

O mercado de luxo também embarcou nessa moda: a Gucci lançou vendas de calçados digitais com preços abaixo do valor que seus calçados físicos costumam custar.

Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês.

Tópicos

Mais Recentes da CNN