ChemChina planeja captar US$ 10 bi com IPO da Syngenta, na maior oferta de 2021

A Syngenta deverá ser avaliada em cerca de US$ 60 bilhões, incluindo dívidas, ou US$ 50 bilhões sem que estas sejam consideradas

Foto: Reuters/Aly Song

John Revill, em Zurique, e Julie Zhu, em Hong Kong,

da Reuters

Ouvir notícia

A ChemChina pretende levantar cerca de US$ 10 bilhões com uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da gigante suíça de agroquímicos Syngenta na bolsa de Xangai, no que deve se tornar a maior operação do gênero nos mercados globais neste ano, disseram à Reuters fontes com conhecimento direto do assunto.

O prospecto inicial do IPO no STAR Market deve ser apresentado ainda nesta quarta-feira (30), segundo as fontes, abrindo caminho para que a oferta ocorra até o final de 2021.

O IPO deve superar a oferta de US$ 6,2 bilhões realizada pela plataforma de compartilhamento de vídeos Kuaishou Technology na bolsa de Hong Kong, além de se tornar o maior da história da STAR, fundada há dois anos em Xangai.

A Syngenta deverá ser avaliada em cerca de US$ 60 bilhões, incluindo dívidas, ou US$ 50 bilhões sem que estas sejam consideradas, disse uma das fontes, que pediu para não ser identificada por não possuir autorização para falar com a imprensa.

O porta-voz da Syngenta, Saswato Das, preferiu não comentar.

A ChemChina, que adquiriu a Syngenta por US$ 43 bilhões em 2017, fundiu a companhia suíça no ano passado com a israelense Adama e com a Sinochem, negócio do setor de fertilizantes e sementes.

Cerca de um terço dos recursos obtidos com o IPO serão utilizados para o repagamento de dívidas, com o restante sendo alocado para pesquisas e desenvolvimentos (R&D, na sigla em inglês) e novos negócios, disseram as fontes.

Mais Recentes da CNN