China anuncia erradicação da extrema pobreza nos últimos condados pobres

A China estabelece seu próprio padrão nacional de pobreza extrema, com base em uma renda per capita de 4 mil iuanes por ano --ou cerca de US$ 1,52 por dia

Bandeira da China em Pequim (27/05/2019)
Bandeira da China em Pequim (27/05/2019) Foto: Jason Lee/Reuters

Da Reuters

Ouvir notícia

A China removeu os últimos condados remanescentes de uma lista de regiões pobres, no que as autoridades descreveram como a conquista da meta política de longa data do presidente Xi Jinping de eliminar a pobreza extrema até o final deste ano.

O marco foi alcançado pela retirada de 93 milhões de pessoas da pobreza desde 2013, disse o governo da China. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, disse em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira que a China está preparada para compartilhar sua experiência com outros países em desenvolvimento.

Leia também:
Wall Street está acordando para os efeitos da crise climática
Masa Son, bilionário do SoftBank, estoca dinheiro para o ‘pior cenário’

A China estabelece seu próprio padrão nacional de pobreza extrema, com base em uma renda per capita de 4 mil iuanes por ano –ou cerca de US$ 1,52 por dia– e outros fatores, como acesso a cuidados básicos de saúde e educação. Isso se compara ao padrão de 1,90 dólar por dia estabelecido pelo Banco Mundial para medir a pobreza extrema em todo o mundo.

Na tarde de segunda-feira (23), autoridades de uma das províncias mais pobres da China, Guizhou, anunciaram que os últimos nove condados restantes foram removidos da lista de regiões pobres do país. A lista, elaborada em 2014, identificou inicialmente 832 como extremamente pobres.

Guizhou disse que a renda média anual per capita nos condados aumentou para 11.487 iuanes. A mídia estatal disse que auditores terceirizados visitaram os nove condados para conduzir pesquisas finais neste mês.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Tópicos

Mais Recentes da CNN