Claro doa R$ 100 milhões para ajudar estudantes em preparação para o Enem

Operadora se uniu ao Descomplica, plataforma de preparação para o Enem, com o propósito de ajudar jovens que se afastaram das salas em função do isolamento

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A Claro espera doar o equivalente a R$ 100 milhões em navegação gratuita em conteúdos de preparação para o Enem. Para isso, se uniu ao Descomplica, plataforma de preparação online para vestibular e Enem, com o propósito de ajudar jovens que se afastaram das salas de aula em função do isolamento social oferecendo acesso gratuito à plataforma de estudos, sem consumir o plano de internet móvel, principal meio de acesso a internet em muitas casa do Brasil, explica Paulo César Teixeira, CEO de Consumo e Pequenas e Médias empresas da Claro.

“A parceria veio no intuito de ajudar estas pessoas a se preparar para essa prova decisiva para o futuro dos estudantes. A Claro tomou a iniciativa ao verificar a demanda de estudantes carentes de conteúdos preparatórios para o Enem e verificamos que parte destes estudantes viviam em áreas remotas, sem acesso a internet.”

A assinatura do serviço Descomplica será cedida gratuitamente pela parceria até a realização da prova do Enem 2020. Além disso, a Claro arcará com o custo de navegação para assistir as aulas e acessar todos os conteúdos. A empresa está garantindo acesso universal, ilimitado e gratuito a conteúdos educacionais para a população mais carente, um dos pilares apoiados pela Claro por meio do Instituto Claro.

“Há um terço dos estudantes que dependem do pré pago, então damos um benefício para este tipo de cliente. Basta que ele esteja com o plano ativo que terá direito a baixar este aplicativo e usar o tempo que quiser, já que o tráfego de dados não será cobrado.”

(Edição: Diego Freire)

César Teixeira, CEO de Consumo e Pequenas e Médias empresas da Claro em entrevis
César Teixeira, CEO de Consumo e Pequenas e Médias empresas da Claro em entrevista para a CNN (03.jun.2020)
Foto: CNN Brasil

 

Mais Recentes da CNN