CMN aprova liberação de R$ 1,32 bi para cafeicultores atingidos por geadas

Segundo a pasta, o CMN reservou 20% do valor das linhas de custeio, comercialização, capital de giro e financiamento para aquisição de café

Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

Por Gabriel Araujo, da Reuters

Ouvir notícia

 O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou nesta terça-feira  (17) a liberação de R$ 1,32 bilhão em recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) para produtores atingidos por geadas recentes no Brasil, informou o Ministério da Economia.

Segundo a pasta, o CMN reservou 20% do valor das linhas de custeio, comercialização, capital de giro e financiamento para aquisição de café (FAC), além de 100% do valor da linha de recuperação de cafezais danificados, para medidas de apoio aos produtores, mediante avaliação dos efeitos econômicos decorrentes do evento climático.

Estimativas preliminares da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgadas após as fortes geadas do dia 20 de julho, indicaram que o fenômeno pode ter afetado até 200 mil hectares cultivados com café arábica, ou 11% do total da área destinada à variedade no país.

A disponibilização do montante de R$ 1,3 bilhão aos produtores afetados já havia sido aprovada no último dia 10 pelo Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC), que então submeteu a medida para apreciação do CMN.

O Ministério da Economia destacou que os recursos deverão ser destinados às principais regiões produtoras de café de Minas Gerais, São Paulo e Paraná.

Os recursos fazem parte dos R$ 5,9 bilhões aprovados para aplicação nas linhas de financiamento do Funcafé na safra 2021/2022. Com a reserva, segundo o Ministério da Agricultura, os agentes financeiros terão R$ 4,6 bilhões para as linhas de crédito de custeio, comercialização, capital de giro e aquisição.

Mais Recentes da CNN