Com alta no preço, aço nacional já está mais caro que importado

Segundo a Abimaq, reajuste passa de 150% e produto comprado fora chega a ser 20% mais barato

Adriana de Luca, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), a variação do preço do aço foi de mais de 152,29% entre dezembro de 2019 e abril deste ano. Com tantos reajustes no Brasil, a importação da matéria-prima pode sair mais barata, dependendo do tipo de metal. 

Um laminado a frio, por exemplo, custa em média R$ 9.045,00 no Brasil e R$ 6.562,00 se vier de outro país. A diferença é superior a 27%. 

O presidente da Abimaq, José Velloso Dias Cardoso, disse à CNN que o aumento do preço do insumo é um exagero. “Eles subiram tanto aqui no Brasil que começou a ficar mais barato [importar], o que não é normal”, explicou.

A Câmara Brasileira da Construção pediu ao Ministério da Economia, em maio, a redução da tarifa de importação de matéria-prima de 12% para 1% pelo período de um ano. Para o Instituto Aço Brasil, porém, não há motivos que justifiquem a medida. 

“Nossa expectativa é que essa pressão por parte das matérias-primas volte à normalidade”, afirmou o presidente executivo do Aço Brasil, Marco Polo de Mello Lopes. 

Devido a reajustes, preço do aço importado é menor que o nacional
Devido a reajustes, preço do aço importado é menor que o nacional (21.jun.2021)
Foto: Reprodução / CNN

Mais Recentes da CNN