Com Biden perto de 270 delegados, ação de empresa de energia solar dispara 300%

Sunrun, a maior empresa de energia solar em telhados dos Estados Unidos, teve um pico de mais de 300% até agora este ano.

Joe Biden fala em Delaware sobre confiança na vitória nas eleições americanas
Joe Biden fala em Delaware sobre confiança na vitória nas eleições americanas Foto: Reprodução/ CNN

Matt Egan,

do CNN Business, em Nova York

Ouvir notícia

Depois de anos sendo desprezadas, as ações de empresas de energia solar de repente começaram a bombar em Wall Street.

Sunrun, a maior empresa de energia solar em telhados dos Estados Unidos, teve um pico de mais de 300% até agora este ano. E o ETF Invesco Solar mais do que dobrou em 2020.

Acompanhe a contagem de votos em tempo real

Parte dessa empolgação vem da esperança de uma onda democrata que leve a mais apoio federal para fontes de energia renováveis, já que Joe Biden pediu para eliminar as emissões de carbono da rede elétrica até 2035.

Leia também:
A 17 delegados da vitória, Biden diminui diferença para Trump em estados-chave
Eleição nos EUA: mercado se anima com divisão equilibrada no senado e na câmara
Com mercado de trabalho em crise, novo presidente terá árdua missão pela frente

Enquanto isso, os investidores estão se desfazendo de ações de empresas de combustíveis fósseis, especialmente grandes empresas de petróleo, em meio à maior atenção aos padrões ambientais, sociais e de governança corporativa (ESG na sigla em inglês) e nos investimentos socialmente conscientes.

A ExxonMobil não é mais a maior empresa de energia dos Estados Unidos em valor de mercado: ela foi destronado pela empresa solar e eólica NextEra Energy.

“É apenas um sinal de que as energias renováveis serão uma solução mais acessível e de crescimento mais rápido. Não há mais como negar isso”, disse a cofundadora e CEO da Sunrun, Lynn Jurich, à CNN Business.

Jurich apostou alto na aquisição da rival Vivint por US$ 3,2 bilhões em julho. Fechado no mês passado, o negócio combinou as duas maiores empresas de energia solar em telhados do país.

Na compra bilionária da Vivint, Jurich fez malabarismos em suas funções normais como CEO de uma empresa de capital aberto, trabalhando em casa durante a pandemia com seus dois filhos pequenos.

“Estamos todos lutando para equilibrar vida pessoal e profissional. A questão dos filhos é a parte mais difícil”, afirmou Jurich, de 41 anos. “Tenho conseguido passar mais tempo com meus filhos porque trabalho em casa. Há dias bons e dias ruins, como todo mundo”.

Aposta na vitória de Biden

Os investidores correram para comprar ações da Sunrun na esperança de que a aquisição, juntamente com políticas mais favoráveis do governo federal dos EUA, aumente as perspectivas da empresa.

“A plataforma Biden é muito favorável à energia renovável, especificamente a solar residencial”, disse Sophie Karp, analista sênior da KeyCorp.

Karp disse que não há dúvida de que o rali solar levantando Sunrun (RUN) e seus rivais se deve em parte à expectativa de que os democratas cheguem ao poder.

O ETF Invesco WilderHill Clean Energy , que possui ações da Sunrun, SunPower, Tesla e outras empresas renováveis, quase dobrou neste ano. Em contraste, o fundo Energy Select Sector SPDR (XLE) dominado por empresas como Exxon e Chevron diminuiu 50%.

“Biden mudou a precificação”, disse ela. Certamente veremos uma decepção nas energias renováveis se ele não vencer”

Jurich, chefe do Sunrun, minimizou o impacto da política no futuro da indústria.

“Em termos de eleição, o interessante é que a energia solar tem um enorme apoio bipartidário. Isso nos encoraja, não importa para qual direção a eleição vá. Qualquer um dos resultados é favorável ao negócio”.

A eleição e a desoneração fiscal

Joe Biden propôs quase US$ 2 trilhões de investimento federal para enfrentar a crise climática e criar empregos sindicais que não podem ser terceirizados.

A força-tarefa climática da campanha de Biden pede a instalação de oito milhões de telhados solares em parte reduzindo a burocracia para acelerar o licenciamento mais rápido. Essa é uma meta ambiciosa considerando que os Estados Unidos têm atualmente apenas cerca de 2,2 milhões de instalações solares residenciais, de acordo com a KeyCorp.

De forma crucial, o plano tributário de Biden também pede que o Congresso expanda a desoneração fiscal de companhias de energia renovável e restaure o Energy Investment Tax Credit federal. A desoneração fiscal, que está disponível para proprietários de residências que compram ou financiam instalações solares em telhados, será descontinuada até 2022.

“Estender a desoneração fiscal sob os democratas, algo que as pessoas estão avaliando cada vez mais neste ano, pode valer muito dinheiro”, opinou Michael Weinstein, analista do Credit Suisse. “Isso aceleraria o crescimento e tornaria a energia solar ainda mais competitiva”.

Weinstein enfatizou, no entanto, que a energia renovável – e a solar em particular – não requer mais a ajuda do Tio Sam para competir com os combustíveis fósseis. Isso porque os custos para desenvolver energia renovável despencaram.

“A energia solar está pronta para se sustentar com seus próprios pés. Não precisa de créditos fiscais ou apoio federal”, disse ele.

Jurich disse que Sunrun iria “obviamente encorajar” a extensão dos créditos fiscais e observou que tem apoio bipartidário, especialmente desde que foi promulgado em 2006 pelo ex-presidente George W. Bush.

A desoneração fiscal para energia solar iniciou uma nova fase neste ano, reduzindo o valor que indivíduos e empresas podem reivindicar. Em 2022, ele será zero para energia solar residencial, a menos que o governo federal dos EUA aja.

“É um grande criador de empregos. E é uma das únicas políticas federais que nos ajudam a combater a descarbonização do sistema elétrico”, disse Jurich. “Se não for estendido, continuaremos. O mercado não está indo a lugar nenhum”.

Dúvidas sobre combustíveis fósseis

Independentemente do resultado da eleição, os analistas esperam que o interesse dos investidores em energia renovável permaneça elevado por causa da influência do movimento ESG.

Weinstein, o analista do Credit Suisse, disse que está respondendo a pedidos de gestores de dinheiro na área de petróleo e gás que estão sob pressão para diversificar seus portfólios para se proteger contra o risco de longo prazo de que os combustíveis fósseis sejam substituídos por renováveis.

Essa tendência ajuda a explicar por que as avaliações de preço / lucro para Sunrun e outras ações de energia renovável subiram este ano, mesmo com as empresas de combustíveis fósseis tendo experiência oposta.

“Isso trouxe mais dinheiro para o ecossistema. E mais dinheiro às vezes significa preços mais altos”.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Mais Recentes da CNN