Com cautela, setor de turismo reabre com ofertas para atrair clientes

Representantes de agência de viagens e do setor hoteleiro falam sobre principais pontos para retomada do setor

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Um dos mais impactados pela pandemia do novo coronavírus, o setor de turismo precisará se reinventar para atrair a confiança e a vontade dos consumidores em viajar novamente. A avaliação é de Jacque Dallal, sócia e fundadora da agência Be Happy Viagens, que, em entrevista à CNN, comenta sobre a retomada do segmento.

“A abertura será progressiva e, num primeiro momento, o turismo doméstico será retomado, pois as pessoas se sentem seguras em viajar de carro, próximas de casa e já temos clientes fazendo isso desde o mês de junho”, disse.

Para Jacque, viagens de curta distância serão a tendência do segundo semestre, assim como o deslocamento aéreo nacional. A partir de 2021, ela acredita que as pessoas estarão mais seguras para as viagens internacionais. “Claro que isso depende da reabertura de fronteiras e a retomada dos voos, mas estamos esperançosos”, pontuou.

Leia e veja mais:
Presidente da Azul quer recontratar funcionários: ‘Demissões são um ‘até breve”
Turismo paulista terá prejuízo de R$ 15 bilhões, diz governo

Presidente do Instituto de Desenvolvimento, Turismo, Cultura, Esporte e Meio Ambiente, Bruno Omori afirmou que o momento é de se reiventar para atrair novos clientes.

“No ano passado, 1,5 bilhão de pessoas viajaram pelo mundo e, neste ano, tivemos uma queda entre 60% a 80%. Precisamos criar novas demandas, fazer com que o pessoal volte a viajar e volte a ter interesse. É possível fazer isso pensando diferente, com estratégias, criatividade, agregando alternativas”, detalha.

Jacque Dallal aposta em ofertas diferenciais para atrair os consumidores neste momento. “O turismo é muito ágil e da mesma forma que caiu muito rápido, está se reerguendo. Hotéis fazendo promoções, vouchers com datas em aberto para o cliente escolher a data de viagem [são algumas opções].” 

(Edição: Leandro Nomura)

Mais Recentes da CNN