Com quatro tripulantes, nave da SpaceX chega à Estação Espacial Internacional

A missão é um marco nos esforços da SpaceX para promover a reutilização do equipamento de viagens espaciais, a fim de reduzir os custos do voos

Jackie Wattles, do CNN Business

Ouvir notícia

 

Uma nave espacial Crew Dragon da SpaceX –transportando quatro astronautas de três países– atracou na Estação Espacial Internacional (ISS) na manhã de sábado (24), iniciando a permanência de seis meses da tripulação no espaço.

Esta missão, apelidada de Crew-2, marca o terceiro voo tripulado da companhia de Elon Musk e o primeiro a fazer uso de um foguete propulsor e nave espacial previamente pilotados e de propriedade privada.

Os astronautas decolaram do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, na sexta-feira de manhã (23) e passaram quase 24 horas subindo em órbita a mais de 17 mil milhas por hora, enquanto sua nave Crew Dragon manobrava em direção à ISS, que orbita cerca de 250 milhas acima da Terra.

Na manhã de sábado, a cápsula se alinhou lentamente e se moveu para atracar diretamente com um dos portos da estação espacial.

A tripulação conta com os astronautas da NASA Shane Kimbrough e Megan McArthur, Thomas Pesquet, da Agência Espacial Europeia, e Akihiko Hoshide, da agência espacial japonesa JAXA.

Nave se aproxima da ISS
Crew Dragon se aproxima da Estação Espacial Internacional
Foto: NASA/Divulgação

O foco principal da missão dos astronautas será a pesquisa com “chips de tecido” ou “pequenos modelos de órgãos humanos contendo vários tipos de células que se comportam da mesma forma que no corpo” e que a NASA espera que avancem no desenvolvimento de drogas e vacinas, segundo a agência espacial.

Esse trabalho terá como base anos de estudo de fenômenos biológicos e outros fenômenos científicos a bordo da ISS, onde o ambiente de microgravidade pode dar aos cientistas um melhor entendimento fundamental de como algo funciona.

Kimbrough, McArthur, Pesquet e Hoshide se juntaram a sete astronautas que já estavam a bordo da estação, quatro dos quais chegaram em uma cápsula diferente do SpaceX Crew Dragon em novembro. Isso eleva o total atual de pessoal da estação espacial para 11 – uma das maiores tripulações que a ISS já hospedou.

Mas esse número cairá rapidamente para sete quando quatro dos astronautas que estão a bordo pegarem uma carona da estação para casa em 28 de abril.

A NASA passou mais de uma década trabalhando para aumentar o pessoal a bordo da estação espacial de 21 anos depois que a aposentadoria de seu programa do ônibus espacial em 2011 deixou a espaçonave russa Soyuz como a única opção para levar astronautas de e para a ISS.

Os Estados Unidos vinham pagando à Rússia até US$ 90 milhões por assento nessas viagens. Durante anos, a SpaceX trabalhou sob um contrato de preço fixo de US$ 2,6 bilhões para desenvolver sua espaçonave Crew Dragon sob o programa Commercial Crew da NASA, que pela primeira vez na história da agência espacial entregou a tarefa de construir e testar uma nave espacial digna de uma tripulação para o setor privado.

(A Boeing (BA) está trabalhando com um contrato semelhante para desenvolver sua própria cápsula para o programa. Essa cápsula, chamada Starliner, ainda está em fase de testes.)

A missão é um marco nos esforços da SpaceX para promover a reutilização do equipamento de viagens espaciais, a fim de reduzir os custos do voos. Tanto a cápsula Crew Dragon, chamada “Endeavour”, quanto o foguete Falcon 9 que o colocou em órbita, já voaram no espaço antes.

Embora a empresa tenha reutilizado boosters e espaçonaves dezenas de vezes em satélites e lançamentos de carga nos últimos anos, isso marca a primeira vez que a companhia reutiliza seu equipamento para uma missão tripulada.

*Texto traduzido, clique aqui para ler o original

Mais Recentes da CNN