Com reabertura de economias, Apple aposta em lojas físicas, diz executivo

Apple cresceu na pandemia, atingindo US$ 2 trilhões em valor de mercado em agosto de 2020

Apple Store
Apple Store Foto: Andy Wang / Unsplash

Por Stephen Nellis, da Reuters

Ouvir notícia

 A Apple está ampliando suas operações de varejo em um momento em que a economia dos Estados Unidos se recupera da pandemia, apostando que uma combinação de estratégias desenvolvidas antes e durante a epidemia de Covid-19 vai fazer suas lojas serem mais populares, afirmou um executivo da companhia.

Os guichês expressos que surgiram para ajudar os consumidores a retirarem seus produtos comprados online, por exemplo, serão permanentes nas mais de 500 lojas da Apple no mundo. Todas elas reabriram em 14 de junho.

“Estamos buscando neste momento uma forma de começar de novo e de começar de novo de todas as formas”, disse Deirdre O’Brien, vice-presidente sênior da Apple para varejo.

A Apple cresceu na pandemia, atingindo US$ 2 trilhões em valor de mercado em agosto de 2020 e registrando recordes de vendas de iPhones e de vários outros produtos.

Parte do sucesso da Apple no varejo em meio ao fechamento das lojas pelas medidas de isolamento social foi melhorar o processo de compra online e retirada em loja. Há tempos a estratégia de varejo da empresa tem sido encorajar os consumidores a irem em suas amplas lojas para tocarem e sentirem seus produtos.

Durante a pandemia, a Apple readequou muitas das lojas para terem pequenos balcões expressos para que os clientes possam retirar rapidamente os produtos, mas sem perder o contato com a empresa, que montou serviço de acompanhamento remoto para ajudar os clientes a configurarem seus dispositivos.

Mais Recentes da CNN