Com Selic a 12,75%, quanto rende investir R$ 1.000 em poupança, Tesouro ou fundo

CDB de banco médio é a melhor opção tanto no curto quanto no longo prazo, aponta um levantamento realizado com exclusividade ao CNN Brasil Business

Com nova alta da Selic, rendimentos das principais aplicações de renda fixa mudam
Com nova alta da Selic, rendimentos das principais aplicações de renda fixa mudam Rapeepong Puttakumwong / Getty Images

Artur Nicocelido CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

Um levantamento realizado por Michael Viriato, estrategista da Casa do Investidor, para o CNN Brasil Business, sobre quanto rende uma aplicação de R$ 1 mil com a nova taxa básica de juros (12,75%), apontou que tanto no curto quanto no longo prazo, o CDB de banco médio é a melhor opção.

A melhor aplicação segundo o estudo considera 110% de CDI (Certificado de Depósito Interbancário), título emitido em operações feitas entre instituições bancárias.

O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu pela 10º vez consecutiva elevar a taxa Selic, a 12,75%.  O Banco Central optou, em sua terceira reunião de 2022 – nesta quarta-feira (4), por uma alta de 1 ponto percentual.

Dessa forma, os rendimentos das principais aplicações de renda fixa mudam. Considerando uma aplicação de R$ 1 mil no CDB de banco médio – a melhor opção – ao longo de seis meses, por exemplo, o valor no final do período é de R$  1.052,54; de 30 meses, R$  1.322,43.

E a pior aplicação é a poupança, com rendimento de R$ 1.036,19, no curto prazo, e R$ 1.194,56, no longo prazo.

Veja a comparação completa em real e percentual:

Nas simulações de Viriato, foram determinadas as taxas de administração de 0,5% para os fundos e 0,2% para o Tesouro Selic, mas essa cobrança pode variar entre fundos e corretoras.

Vale destacar também que a taxa de custódia do Tesouro Selic, cobrada pela B3, está zerada atualmente para aplicações inferiores a R$ 10 mil.

 

Mais Recentes da CNN