Comércios interditados por funcionar na quarentena podem pedir reabertura em SP

Estabelecimentos terão que seguir regras de flexibilização

Da CNN

Ouvir notícia

Desde o início da quarentena, mais de 600 estabelecimentos foram interditados pela prefeitura de São Paulo por desrespeitarem a decisão de fechamento e atender ao público presencialmente em meio à pandemia. Com a reabertura gradual da economia, eles já podem pedir a desinterdição.

Essa medida vale para estabelecimentos listados como não essenciais, que foram interditados após desobedecer isolamento propostas pela prefeitura. Para a reabertura, os donos dos negócios deverão preencher formulário que consta na página do Diário Oficial do Estado e enviá-lo por e-mail.

Leia também:

‘Remédio não é de esquerda ou de direita’, diz Covas sobre uso de azitromicina
Covid-19: secretário de Saúde diz que SP conseguiu achatar curva de contágio

A região da Sé apresentou o maior número de interdições na capital paulista. Até o momento, 10 pedidos de desinterdição foram realizados.

Mudanças no plano

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou que irá prorrogar a quarentena em todo o estado até o dia 28 de junho. O anúncio foi feito durante a coletiva de imprensa na quarta-feira (10). Na ocasião, também foi apresentada a nova atualização do Plano São Paulo, que apontou mudanças de fases nas regiões do interior.

De acordo com o plano, que trata da retomada gradual das atividades no estado, as regiões metropolitanas de Ribeirão Preto, Barretos e Presidente Prudente retrocederam para a fase 1, representada pela cor vermelha.

 

Mais Recentes da CNN