Compras de Natal geram aglomerações no comércio do Rio e de SP

Por conta da pandemia, profissionais da saúde recomendam que consumidores deem preferência para as compras on-line

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

As regiões do Brás, centro de compras popular de São Paulo, e do Saara, na parte central do Rio de Janeiro, amanheceram lotadas neste sábado (19).

Moradores das duas capitais se aglomeraram para fazer as compras de Natal. De acordo com a Fecomércio, os presentes mais procurados em 2020 são: roupas, acessórios e brinquedos.

Leia também:
Fim do mistério: nos 40 anos do Chester, empresa divulga fotos do animal vivo
Voluntários de vacina fazem relatório diário e medem tamanho do braço
Movimento antivacina não prospera no Brasil, diz pesquisadora da Fiocruz
Turma da Mônica estrela campanha do Unicef sobre importância de vacinar crianças

Foram registradas nas primeiras horas da manhã, logo que o comércio abriu as portas, imagens de pessoas andando pelas ruas sem cumprir as regras de distanciamento ou com o uso inapropriado das máscaras de proteção.

Na Oscar Freire, comércio de rua da capital paulista, também houve aumento do movimento. A expectativa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) é de um acréscimo de 10 a 15% nas vendas em comparação ao mês de novembro.

 

Com relação aos shoppings, a expectativa da Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) é de um aumento de 35% no fluxo de compras em comparação com as semanas anteriores de dezembro. Levando em consideração o Natal do ano passado, a previsão é de uma queda de 2% nas compras. 

Receosos com o aumento da ocupação dos leitos de hospitais, tanto no Rio, quanto em São Paulo, especialistas sugerem que os consumidores deem preferência para as compras via internet.

No Rio de Janeiro, a expectativa é que a movimentação de fim de ano injete mais de R$ 3 bilhões na economia fluminense. Cerca de 6 milhões e 700 mil pessoas afirmaram que pretendem presentear alguém especial. O gasto médio, de acordo com a Fecomércio, é de R$ 450 por pessoas.

(Publicado por: André Rigue)

Mais Recentes da CNN