Confiança de serviços no Brasil tem leve recuperação, mas cautela persiste

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) subiu 0,8 ponto em dezembro, a 86,2 pontos, terminando o ano 10 pontos abaixo do registrado em 2019

Consumidores caminham por rua comercial do Rio de Janeiro
Consumidores caminham por rua comercial do Rio de Janeiro Foto: REUTERS/Ricardo Moraes

Luana Maria Benedito, da Reuters*

Ouvir notícia

A confiança de serviços no Brasil apresentou leve recuperação em dezembro, depois de ter recuado por dois meses consecutivos, sinalizando melhora na percepção sobre o momento atual e os próximos meses, apesar da forte cautela ainda presente entre os consumidores.

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou nesta terça-feira (29) que seu Índice de Confiança de Serviços (ICS) subiu 0,8 ponto em dezembro, a 86,2 pontos, terminando o ano 10 pontos abaixo do nível registrado em 2019 (96,2 pontos).

Leia também:
Planos de saúde podem ficar até 25% mais caros a partir de 2021
IGP-M, índice de reajuste do aluguel, fecha ano com alta acumulada de 23,14%

O Índice de Situação Atual (ISA-S), que mede a avaliação dos empresários sobre o momento presente do setor de serviços, teve alta de 0,9 ponto, a 80,7, mantendo um movimento de recuperação gradual iniciado em maio. O Índice de Expectativas (IE-S), indicador das perspectivas para os próximos meses, ganhou 0,7 ponto, a 92,0 pontos, após duas quedas consecutivas.

Apesar do resultado favorável em dezembro, “é preciso ter cautela pois consumidores ainda estão bastante receosos diante do aumento do número de casos (de Covid-19) e da incerteza em relação à chegada da vacina no Brasil”, disse em nota Rodolpho Tobler, economista da FGV-Ibre.

“O cenário para os próximos meses é de continuidade da retomada, mas ainda existe um grande caminho até retornar ao nível pré-pandemia.”

*(Edição de Camila Moreira)

Mais Recentes da CNN