Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Confiança dos serviços fecha junho em estabilidade, aponta Ibre, da FGV

    Indicador se aproxima do ponto de neutralidade; alimentação fora de casa foi o destaque da sondagem divulgada nesta quarta-feira (29)

    Alta do indicador foi influenciada pelas perspectivas para os próximos meses do ano
    Alta do indicador foi influenciada pelas perspectivas para os próximos meses do ano Pixabay

    Stéfano Sallesda CNN

    no Rio de Janeiro

    Ouvir notícia

    O Índice de Confiança de Serviços (ICS), do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV / Ibre), apresentou estabilidade em junho, com variação positiva de 0,4 ponto e alcançou 98,7 pontos.

    Esse é o nível mais elevado atingido desde outubro de 2021.

    O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (29), pelo Instituto Brasileiro de Economia (FGV / Ibre).

    Apesar da alta, o indicador segue abaixo dos 100 pontos, nível apontado como de neutralidade pela equipe técnica, em uma escala que varia de zero a 200. As variações a partir da neutralidade são consideradas tendências, negativas ou positivas, de acordo com o sentido.

    Coordenador da sondagem, o economista Rodolpho Tobler destacou que é necessário ter cautela com o cenário, apesar de os indicadores sinalizarem para tendências positivas para a economia.

    “O resultado positivo de junho foi influenciado pela melhora das expectativas com os próximos meses, enquanto a percepção sobre o momento presente se mantém igual ao mês anterior. Nos dois horizontes há uma aproximação com o nível neutro, mas ainda é preciso cautela. O ambiente macroeconômico desfavorável e a incerteza em relação aos próximos meses podem segurar o ritmo de recuperação da confiança do setor,” avalia o especialista.

    A alta do indicador foi influenciada pelas perspectivas para os próximos meses do ano.

    O Índice de Expectativas, um dos componentes, subiu 0,8 ponto e chegou a 99,3. Enquanto isto, o Índice de Situação Atual permaneceu igual ao de maio: em 98,1 pontos.

    Com o resultado, a média móvel trimestral subiu 2,2 pontos e fechou o segundo trimestre em 97,8. A elevação do indicador se concentrou em cinco dos 13 segmentos analisados, com destaque para o segmento de alimentação fora de casa, que inclui bares e restaurantes.

    A confiança do segmento subiu 1,1 e fecha o trimestre em 101,9 pontos.

    Os outros quatro segmentos que apresentaram alta no mês foram: tecnologia da informação e comunicação, outros serviços de informação e comunicação, serviços administrativos e complementares e serviços de manutenção e reparação.

    Mais Recentes da CNN