Conselheiro da Petrobras diz que empresa precisará se provar independente

'Daqui para a frente, Bolsonaro terá que dar provas de que não vai intervir na Petrobras. A credibilidade é fácil de ser destruída' disse Marcelo Mesquita

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O mercado financeiro reagiu negativamente à decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que anunciou na sexta-feira (19) a troca de presidente da Petrobras, com a indicação do general Joaquim Silva e Luna, que substitui Roberto Castello Branco.

Em entrevista à CNN, o conselheiro da Petrobras Marcelo Mesquita afirmou que a empresa precisará se esforçar para dar sinais a acionistas e investidores de que o governo não intervirá na gestão.

“Daqui para a frente, Bolsonaro terá que dar provas de que não vai intervir na Petrobras. A credibilidade é muito fácil de ser destruída é difícil de construir. O trabalho do conselho e do novo presidente da empresa vai ser de mostrar para o mercado por atos, um dia após o outro, de que a empresa continua independente.”

Para Marques, a decisão do presidente Jair Bolsonaro se assemelha às medidas adotadas na gestão da estatal durante os governos do PT.

Publicado por Guilherme Venaglia 

Mais Recentes da CNN