Credit Suisse recomenda compra da ação da Petrobras e vê preço-alvo a US$ 14

O Credit Suisse disse ainda que parte da sua visão mais "altista" para a estatal se deve a uma perspectiva de alta nos preços do petróleo

Credit Suisse
Credit Suisse Foto: REUTERS/Arnd Wiegmann

da Reuters

Ouvir notícia

O Credit Suisse elevou a recomendação da ADR da Petrobras de “neutra” para “outperform” e subiu o preço-alvo para US$ 14, de US$ 11, após a estatal divulgar na véspera um lucro de R$ 42,86 bilhões no segundo trimestre, superando com folga estimativas.

“Reconhecemos que existem riscos significativos no horizonte. No entanto, acreditamos que a combinação de um ‘valuation’ muito descontado e altos rendimentos no curto prazo superam os riscos”, disse o banco em relatório.

O Credit Suisse disse ainda que parte da sua visão mais “altista” para a Petrobras se deve a uma perspectiva de alta nos preços do petróleo.

O banco comentou que, agora que “o balanço patrimonial foi desalavancado, será difícil resistir à pressão para aumentar o Capex, principalmente com uma geração de caixa livre tão elevada”.

Analistas também citaram a aprovação de antecipação de dividendos como sinal dos bons resultados.

As ações preferenciais da Petrobras abriram com alta de cerca de 9,5% nesta quinta-feira (5).

A Petrobras informou na quarta-feira (4) que seu Conselho de Administração aprovou o pagamento de duas antecipações da remuneração aos acionistas relativa ao exercício de 2021, no valor total de 31,6 bilhões de reais.

O Bradesco BBI reiterou recomendação “outperform” e estabeleceu preço-alvo para o final de 2022 a 42 reais, versus 26,28 reais do fechamento da véspera.

O banco citou ainda a força da produção do pré-sal na geração de caixa da empresa no segundo trimestre.

 

Mais Recentes da CNN