Crescimento da indústria da zona do euro desacelera em março, mostra PMI

Alemanha, Reino Unido e China também apresentaram contrações, chegando a, respectivamente, 56,9, 55,2 e 48,1 no mês

Fábrica da Salzgitter AG em Salzgitter, Alemanha
Fábrica da Salzgitter AG em Salzgitter, Alemanha 03/03/2016. REUTERS/Fabian Bimmer/File photo

Reuters*

da Reuters

Ouvir notícia

O crescimento da indústria na zona do euro desacelerou com força no mês passado uma vez que a invasão da Ucrânia pela Rússia piorou os gargalos da cadeia de abastecimento, afetou a demanda e prejudicou a confiança, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O PMI final da indústria da S&P Global caiu para a mínima de 14 meses de 56,5 em março de 58,2 em fevereiro, abaixo da preliminar de 57, mas ainda bem acima da marca que separa crescimento de contração.

O subíndice de produção recuou a 53,1 de 55,5, mínima desde junho de 2020, quando o bloco enfrentava a primeira onda da pandemia de coronavírus.

“Justo quando a redução da última onda da pandemia estava criando um impulso para a recuperação da indústria da zona do euro, com as economias reabrindo e os gargalos da cadeia de abastecimento diminuindo, a guerra na Ucrânia criou um novo obstáculo ameaçador”, disse Chris Williamson, economista-chefe da S&P Global.

PMI industrial da Alemanha cai a 56,9 em março, ao menor nível em 18 meses

O PMI industrial da Alemanha caiu de 58,4 em fevereiro para 56,9 em março, atingindo o menor nível em 18 meses, em meio aos impactos da guerra entre Rússia e Ucrânia.

A leitura definitiva ficou abaixo da estimativa preliminar de março e também da previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 57,6 em ambos os casos.

Apesar da queda, o resultado acima da barreira de 50 mostra que a manufatura alemã continuou se expandindo no mês passado, ainda que em ritmo mais fraco.

PMI industrial do Reino Unido cai a 55,2 em março; nível é o menor em 13 meses

O PMI industrial do Reino Unido caiu de 58 em fevereiro para 55,2 em março, atingindo o menor nível em 13 meses, em meio aos impactos da guerra entre Rússia e Ucrânia.

A leitura definitiva ficou abaixo da estimativa preliminar de março e da previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 55,5 em ambos os casos.

Apesar da queda, o resultado acima da marca de 50 indica que o setor manufatureiro britânico seguiu se expandindo no mês passado, ainda que em ritmo mais contido.

Atividade industrial a China contrai em março no ritmo mais forte em 2 anos

A atividade industrial da China contraiu no ritmo mais forte em dois anos em março devido ao ressurgimento da Covid-19 no país e às consequências econômicas da guerra na Ucrânia.

O PMI de indústria do Caixin/Markit caiu a 48,1 em março, indicando a taxa mais forte de contração desde fevereiro de 2020, contra 50,4 no mês anterior.

A marca de 50 separa crescimento de contração.

A deterioração das condições da indústria ficou em linha com o PMI oficial divulgado na quinta-feira, que mostrou que a atividade contraiu no ritmo mais forte desde outubro de 2021. A pesquisa privada do Caixin foca mais em empresas pequenas em regiões costeiras.

“A média dos dois (PMIs) está agora abaixo de 50, e tirando o impacto inicial da pandemia em 2020, está agora na mínima desde fevereiro de 2016”, disse Sheana Yue, economista da Capital Economics.

O subíndice de novas encomendas recuou no ritmo mais forte desde fevereiro de 2020, quando a China enfrentou a primeira onda de surtos de Covid-19.

*Com informações de Estadão Conteúdo

Mais Recentes da CNN