Depois de ultrapassar Apple em vendas de smartphones, Xiaomi mira em Samsung

Comparado com Samsung e Apple, o preço médio de venda da Xiaomi é cerca de 40% e 75% mais barato, segundo consultoria

Foto: Reuters/Valentyn Ogirenko

Laura He, do CNN Business

Ouvir notícia

A Xiaomi ultrapassou a Apple (AAPL) e se tornou a segunda maior fabricante de smartphones do mundo pela primeira vez, de acordo com a empresa de pesquisa de mercado Canalys.

A empresa chinesa recebeu 17% das remessas mundiais de smartphones no segundo trimestre de 2021, atrás dos 19% da Samsung, disse a Canalys em relatório publicado na quinta-feira (15). Em comparação com o mesmo período de 2020, as remessas da Xiaomi aumentaram mais de 80%.

A Apple ficou em terceiro lugar, com remessas que representaram 14% do total global. As fabricantes chinesas de smartphones Oppo e Vivo seguiram, com 10% cada. 

O relatório da Canalys mede o número de fabricantes de aparelhos que vendem aos distribuidores.

Esta é a primeira vez que Xiaomi fica em segundo lugar no relatório Canalys. No primeiro trimestre de 2021 e durante todo o ano de 2020, Samsung (SSNLF) e Apple (AAPL) foram as duas principais marcas de smartphones do mundo. Em 2019, Samsung e Huawei lideraram a lista.

Tornar-se o segundo fornecedor do mundo é um “marco importante na história da Xiaomi”, disse Lei Jun, fundador e CEO da Xiaomi, em uma carta aos funcionários na sexta-feira (15).

“Apesar das celebrações agora, quero ter certeza de que podemos manter nosso segundo lugar de forma constante e firme no futuro”, disse ele.

As ações da Xiaomi subiram quase 5% em Hong Kong na sexta.

A expansão global da Xiaomi e sua estratégia de varejo — a companhia quer que suas lojas online e físicas trabalhem juntas de forma mais integrada — impulsionou seu crescimento nas remessas no segundo trimestre, disse a empresa em um comunicado.

O gerente de pesquisa da Canalys, Ben Stanton, também disse no relatório que a Xiaomi está “vendo um crescimento rápido em seus negócios no exterior”.

Durante o segundo trimestre, as remessas da Xiaomi aumentaram mais de 300% na América Latina, 150% na África e 50% na Europa Ocidental, de acordo com a Canalys.

A fabricante chinesa de smartphones ainda tem como objetivo principal os consumidores preocupados com o orçamento, disse Stanton. Comparado com Samsung e Apple, o preço médio de venda da Xiaomi é cerca de 40% e 75% mais barato, respectivamente, acrescentou.

“Todos os fornecedores estão lutando arduamente para garantir o fornecimento de componentes em meio à escassez global, mas a Xiaomi já tem os olhos postos no próximo prêmio: substituir a Samsung para se tornar o maior fornecedor do mundo”, disse Stanton.

A empresa também obteve um grande impulso com a melhora da economia global, acrescentou Canalys. O lançamento da vacina aproximou alguns países da normalidade e as pessoas estão gastando mais dinheiro novamente. No segundo trimestre de 2021, as remessas globais de smartphones aumentaram 12%, disse a empresa de pesquisa.

Stanton espera que uma das principais prioridades da Xiaomi este ano seja vender mais de seus aparelhos de última geração, como o Mi 11 Ultra.

“Mas será uma batalha difícil”, disse ele, já que rivais como Oppo e Vivo compartilham o mesmo objetivo.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

 

Mais Recentes da CNN