Dólar cai 1,6% e fecha a R$ 5,14 com otimismo no exterior e ajuda do BC

As medidas globais de estímulo para combater o impacto econômico da pandemia ainda surtem efeitos positivos no mercado

Real foi a moeda que mais se desvalorizou em relação ao dólar no início de 2020 (10.Set.2015)
Real foi a moeda que mais se desvalorizou em relação ao dólar no início de 2020 (10.Set.2015) Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Do CNN Brasil Business, em São Paulo*

Ouvir notícia

O dólar fechou em queda de 1,63% nesta quarta-feira (8), cotado a R$ 5,143 na venda. Foi o terceiro dia seguido de quedas e é o menor valor para a moeda em mais de uma semana, desde 27 de março, quando o dólar fechou o dia valendo R$ 5,104. Na última sexta (3), após uma sucessão de seis dias só de altas, o dólar havia batido R$ 5,324 no fechamento, o maior valor de sua história.

Pesou também para o alívio no câmbio novas intervenções feitas no mercado pelo Banco Central, além da divulgação da ata das últimas reuniões do Federal Reserve (Fed), o banco central norte-americano, reconhecendo o momento de crise aguda atual e a importância das medidas de ajuda tomadas no país. O entendimento é de que os juros nos Estados Unidos devem continuar baixos ainda por um bom tempo.

O Fed realizou duas reuniões de emergência no mês passado, em 2 e 15 de março, em que cortaram a taxa de juros de volta para zero, ampliaram o acesso a dólares para bancos centrais estrangeiros e retomaram os programas de forte compra de títulos nos mercados, o que ajuda a injetar dinheiro na economia.

Atuação do BC no Brasil

No Brasil, o Banco Central voltou a oferecer dinheiro “novo” no mercado de câmbio nesta quarta-feira, o que ajudou o dólar a abandonar as oscilações de alta que chegou a ter no início do dia e a entrar em trajetória firme de queda na parte da tarde. Foi o segundo dia consecutivo de oferta líquida de contratos de swap cambial no mercado.

O swap cambial tradicional é um mecanismo cuja venda funciona como uma injeção de liquidez no mercado futuro de câmbio. Sua venda ajuda a saciar demanda por moeda e, assim, a reduzir a pressão sobre o preço do dólar.

O BC disponibilizou até 10 mil contratos de swap cambial tradicional, no equivalente a US$ 500 milhões, além da vender 5.930 ativos (US$ 297 milhões). O BC também fez nesta quarta-feira leilão de rolagem de contratos de swap que expiravam no começo de maio.

O BC tem feito neste ano diversas operações de venda de dólar via swaps. Apenas em swaps, a autoridade monetária já colocou em abril US$ 962 milhões em oferta líquida. No ano, a soma vai a US$ 1,17 bilhões.

*Com Reuters

Tópicos

Mais Recentes da CNN