Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dona do TikTok lança serviço de pagamento na China

    A ferramenta Douyin Pay visa complementar as principais opções de pagamento existentes e, em última análise, melhorar a experiência do usuário

    Celular com logo do TikTok
    Celular com logo do TikTok Foto: Antonbe/Pixabay

    Yingzhi Yang e Brenda Goh, da Reuters

    Ouvir notícia

    A ByteDance lançou recentemente um serviço de pagamento para a versão chinesa do TikTok, o “Douyin Pay”, ampliando fontes de receita no comércio eletrônico na China.

    “A ferramenta Douyin Pay visa complementar as principais opções de pagamento existentes e, em última análise, melhorar a experiência do usuário”, disse o TikTok em comunicado à Reuters nesta terça-feira (19).

    Os mais de 600 milhões de usuários ativos por dia do Douyin, anteriormente podiam usar o Alipay, do Ant Group, e o WeChat Pay, da Tencent, os dois canais de pagamento em dispositivos móveis onipresentes do país, para comprar presentes virtuais para transmissões ao vivo ou itens de lojas da plataforma.

     O fundador e presidente-executivo da ByteDance, Zhang Yiming, ampliou a capacidade da empresa em atuar no mercado de pagamentos na China ao adquirir a Wuhan Hezhong Yibao Technology no ano passado. A Hezhong Yibao obteve uma licença de pagamento a terceiros do banco central em 2014.

    O Douyin é o principal gerador de receita da ByteDance. Ele oferece um vislumbre do que o TikTok pode vir a se tornar, à medida que Douyin começou a vender mercadorias em 2017 e agora possui uma operação de comércio eletrônico em crescimento, na qual centenas de milhões de usuários fazem compras diariamente.

    A expansão da ByteDance ocorre em um momento em que reguladores financeiros da China estão intensificando a supervisão das fintechs, especialmente empresas como o Ant Group.

    O setor de pagamentos da China é dominado pela Alipay e pelo WeChat Pay, com o primeiro tendo 55,39% do mercado total no segundo trimestre do ano passado, de acordo com a empresa de pesquisa de mercado Analysys.

    Mais Recentes da CNN