Dow Jones registra 7ª perda semanal, maior sequência desde 1923

Longo período de perdas ressalta o clima negativo em Wall Street, à medida que os investidores ficam nervosos com a alta inflação

Se o Dow terminar a semana em queda — o que parece ser um destino certo —, será a oitava perda semanal consecutiva
Se o Dow terminar a semana em queda — o que parece ser um destino certo —, será a oitava perda semanal consecutiva , EUA26/01/2022REUTERS/Brendan McDermid/File Photo

Matt Egando CNN Business

em Nova York

Ouvir notícia

O índice Dow Jones sofreu seu oitavo declínio semanal consecutivo, o mais longo desde 1932, durante a Grande Depressão.

O índice abriu o dia em alta, e encerrou no positivo em 0,03%, a 31.261,90 pontos. Contudo, perdeu 2,9% na semana.

Essa é a mais longa sequência de derrotas semanais desde 1923, de acordo com dados do FactSet revisados ​​pela LPL Financial.

O longo período de perdas ressalta o clima negativo em Wall Street, à medida que os investidores ficam nervosos com a alta inflação — e o que o Federal Reserve terá que fazer para manter os preços sob controle.

O S&P500 e o Nasdaq registraram a sétima perda semanal consecutiva, maior sequência de perdas desde o fim da bolha “pontocom” em 2001. O S&P500 passou a maior parte do pregão em território negativo e, a certa altura, recuou pouco mais de 20% em relação ao recorde de fechamento que bateu em 3 de janeiro, antes de terminar em queda de 18% em relação a esse nível e estável para o dia.

O Nasdaq, focado em tecnologia, perdeu cerca de 27% em relação ao seu recorde de encerramento alcançado em novembro de 2021.

“Da inflação, ao Fed agressivo, à guerra, aos problemas da cadeia de suprimentos, à China em bloqueio, a uma economia em desaceleração, há muitas razões pelas quais as ações se saíram tão mal quanto recentemente”, disse Ryan Detrick, da LPL Financial, em e-mail.

Detrick disse que o lado positivo é que a história sugere que as ações estão sobrevendidas.

“Se recebermos boas notícias, é provável que haja uma grande recuperação”, disse ele.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN