Eduardo Leite: Mudar ICMS é cortina de fumaça para real problema dos combustíveis

À CNN Rádio, o governador do Rio Grande do Sul afirmou que solução passa por reforma tributária ‘para valer’

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) (09.fev.2021)
O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) (09.fev.2021) Foto: Reprodução/CNN

Da CNN Brasil

Ouvir notícia

A proposta de mudança na cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que é defendida pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, “joga cortina de fumaça sobre o real problema”, segundo Eduardo Leite.

O governador do Rio Grande do Sul, em entrevista à CNN Rádio, disse que o patamar de cobrança entre 25-30% é o mesmo “há mais de uma década”.

“Em janeiro, no RS, por exemplo, o preço do litro da gasolina era de R$ 4,50 e agora vai a quase R$ 7, e não houve aumento do ICMS”, exemplificou.

“O que aumenta é o preço internacional e o dólar por conta do ambiente negativo e incertezas gerado pelo presidente, o real se desvaloriza, isso gera aumento de custos para aquilo que é precificado no mercado internacional, como os combustíveis”, analisou Leite.

O governador acredita que uma mudança no ICMS “não vai resolver o problema, vai reduzir no curto prazo, mas vai continuar escalada de preços, problema não está no imposto, embora mereça discussão.”

Segundo ele, a solução passa por “uma reforma tributária ‘para valer’, não arremedos com precedentes perigosos que vão gerar problemas na população na outra ponta, se governos colapsarem, serviços públicos se deterioraram.“Mexer no ICMS é o caminho errado, caminho certo é reforma tributária mais ampla”, completou.

Mais Recentes da CNN