Elétrica Energisa quer expandir ‘fintech’ Voltz com aposta em promoções e Pix

A "fintech" apostará neste ano em promoções para ampliar o número de clientes em seu site e aplicativo para celulares

Das 16 cidades do Amapá, apenas Oiapoque, Laranjal do Jari e Vitória do Jari contam com o fornecimento de energia regular
Das 16 cidades do Amapá, apenas Oiapoque, Laranjal do Jari e Vitória do Jari contam com o fornecimento de energia regular Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Luciano Costa, da Reuters

Ouvir notícia

A Energisa, que controla 11 distribuidoras de energia nas diferentes regiões do Brasil, pretende utilizar sua ampla base de consumidores para expandir uma recém-lançada start-up de serviços financeiros, a Voltz.

A “fintech”, criada pelo grupo do setor elétrico em meados de 2020, apostará neste ano em promoções para ampliar o número de clientes em seu site e aplicativo para celulares, enquanto prepara também o lançamento de novos produtos, inclusive soluções de crédito para pessoas físicas, disse à Reuters o co-CEO da empresa, Tiago Compagnoni.

Após começar oferecendo operações de antecipação de recebíveis com foco em fornecedores da Energisa e uma conta digital com cartão associado para o público em geral, a Voltz mira uma meta de alcançar 5 milhões de usuários em cinco anos, incluindo não-clientes da elétrica, em todos Estados do Brasil.

“Essas operações de recebíveis com fornecedores começamos em setembro, outubro do ano passado. O que podemos abrir é que nesse produto já passamos de R$ 100 milhões (movimentados)”, disse Compagnoni, em conversa por vídeo.

A Energisa possui mais de 20 mil fornecedores –com os quais movimenta cerca de R$ 5,5 bilhões por ano, o que abre para a Voltz oportunidades de operações como as com recebíveis–, além de um universo de 8 milhões de consumidores atendidos por suas distribuidoras em todas regiões do país, destacou ele.

De olho nesse potencial mercado, a fintech está lançando uma promoção pela qual clientes de distribuidoras Energisa que utilizarem a Voltz pagar as contas de luz geradas com QR-Code do Pix terão 10% desconto na primeira fatura, limitado a R$ 20.

Os descontos, já válidos para consumidores de empresas do grupo na Paraíba, Tocantins e Minas Gerais, devem ser estendidos para todo o Brasil nas próximas semanas, e serão concedidos com recursos do orçamento da Voltz, dentro de uma estratégia de aquisição de usuários, sem afetar a receita da Energisa.

A elétrica, no entanto, vai se beneficiar com reduções de custos caso os clientes passem a adotar os pagamentos via Pix com maior frequência, ao invés de boletos, pontuou Compagnoni.

“Estamos trabalhando com produtos financeiros que façam sentido dentro do próprio ‘ecossistema Energisa'”, disse ele.

Nesse sentido, a Voltz vê potencial importante na oferta de crédito aos usuários, que abriria caminho para produtos que poderiam ser desenhados com objetivo também de reduzir a inadimplência enfrentada pela Energisa junto a clientes.

Segundo Compagnoni, um dos chefes da Voltz, a Energisa “saiu na frente” ao explorar complementaridades entre seu negócio no setor de energia, a área de tecnologia e serviços financeiros.

A fintech também quer lançar brevemente uma conta digital pessoa jurídica, e estuda ainda serviços de educação financeira.

Tópicos

Mais Recentes da CNN