Eletrobras: relator permite capitalização antes da contratação de termelétricas

Com isso, os leilões poderão ser realizados após a privatização da estatal, que deverá ser concluída ainda no primeiro semestre de 2022

Anna Russi,

do CNN Brasil Business, em Brasília

Ouvir notícia

Na busca de apoio para aprovação da Medida Provisória que permite a capitalização da Eletrobras, o relator, senador Marcos Rogério (DEM), apresentou nesta quinta-feira (17) um novo parecer, acatando novas emendas. O texto será submetido à apreciação pelo plenário do Senado Federal ainda nesta quinta. 

Na nova versão, o senador retirou a obrigatoriedade da contratação de termelétricas antes do início do processo capitalização. Assim, os leilões poderão ser realizados após a privatização da estatal, que deverá ser concluída ainda no primeiro semestre de 2022. 

Mesmo com as mudanças, no entanto, o texto enfrenta divergências entre os senadores. Nesse sentido, o relator afirmou que “enquanto o texto não for votado, cabe ao relator receber e avaliar cada sugestão. Então, sim, estou aberto até o final”. 

Entre os pontos mais questionados está a criação de um dispositivo que obriga o governo federal a contratar, por 15 anos, energia gerada por usinas termelétricas para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

No novo parecer apresentado nesta quinta-feira, o relator adicionou à lista estados da região Sudeste. Assim, a nova divisão dos 6 mil MW prevê 1 mil MW para o Nordeste, 2 mil MW para o Norte, 2 mil MW para o Centro-Oeste e 1 mil MW para o Sudeste. 

“Não foram mudanças significativas, mas sim pontuais para buscar atender a compreensão e visão dos senadores em relação a essa MP”, comentou o senador Marcos Rogério pouco antes do início da sessão.

Mais Recentes da CNN