Eletrobras prevê destinar R$ 2,5 bilhões ao ano para reduzir conta de luz

O governo do presidente Jair Bolsonaro publicou no fim de fevereiro uma medida provisória sobre a desestatização, que terá 120 dias para análise pelo Congresso

Governo planeja bancar parte da conta de luz de famílias de baixa renda
Governo planeja bancar parte da conta de luz de famílias de baixa renda Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Luciano Costa, da Reuters

Ouvir notícia

O projeto do governo para privatização da Eletrobras não vai aumentar tarifas de energia para os consumidores, uma vez que a proposta prevê que a companhia direcione até R$ 2,5 bilhões ao ano para aliviar a alta nas contas de luz, disse um representante do Ministério de Minas e Energia nesta segunda-feira.

O governo do presidente Jair Bolsonaro publicou no final de fevereiro uma medida provisória sobre a desestatização, que terá 120 dias para análise pelo Congresso.

“A gente acredita que a MP não vai gerar aumento tarifário”, disse o chefe da assessoria econômica da pasta de Minas e Energia, Hailton Madureira, em debate sobre a privatização transmitido online pela TV Câmara.

Ele explicou que o modelo previsto para a desestatização envolve obrigação de a Eletrobras direcionar posteriormente “entre R$ 2 bilhões e R$ 2,5 bilhões” por ano em recursos para abater encargos que oneram as contas de luz dos consumidores.

Mais Recentes da CNN