Em apenas 6 horas, aplicativo do auxílio emergencial teve 10 mi de cadastros

Caixa lança aplicativo para auxílio emergencial
Caixa lança aplicativo para auxílio emergencial Foto: Stephanie Bevilaqua / Arte

Anna Russi e Natália André

Da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

Lançado na manhã desta terça-feira (7/4), o aplicativo da Caixa Econômica Federal para o auxílio emergencial a informais registrou, em apenas 6 horas, 10 milhões de cadastros finalizados. O número foi informado em coletiva de imprensa nesta tarde pelo presidente do banco, Pedro Guimarães. 

A estimativa dele é de que até o final do dia, sejam realizados de 15 milhões a 20 milhões de cadastros dos trabalhadores. Desde a hora do lançamento, às 9 horas da manhã, até às 15 horas já foram mais de 31 milhões de visitas individuais no site. “Essa primeira semana devemos ter 70% a 80% de brasileiros que tem direito ao benefício com cadastros realizados”, disse Guimarães justificando a lentidão no sistema em alguns momentos desta segunda. 

O ministro de Cidadania, Onyx Lorenzoni, destacou que o plano é de que o pagamento comece na próxima quinta-feira (09). “No final da tarde já teremos condições de transferir o montante para a Caixa para que o pagamento se inicie na quinta”, afirmou.

O pagamento do benefício será dividido em três grupos: pessoas que já estão no cadastro único do governo como beneficiários de programas sociais, com exceção do Bolsa Família; beneficiários do Bolsa Família; e trabalhadores informais. Dos R$ 98,2 bilhões totais a serem repassados, o maior volume, de R$ 43,71 bilhões será para beneficiários do Bolsa Família. 

Já para aqueles que já estão cadastrados no CadÚnico serão destinados R$ 29,43 bilhões. Para trabalhadores informais, autônomos e microempreendedores individuais (MEIs) a estimativa é de que o auxílio chegue a R$ 25 bilhões. Entre esses últimos, os trabalhadores poderão indicar uma conta em qualquer instituição financeira para o recebimento do auxílio. O pagamento deste grupo começará em 14 de abril. 

Para o público CadÚnico, a primeira parcela será depositada em até 48 horas após o recebimento da base de beneficiários elegíveis avaliada pela Dataprev, nesta quinta-feira (09). As outras duas cotas entrarão nas contas entre 27 a 30 de abril e 26 a 29 de maio, respectivamente. Para quem já participa do Bolsa Família, o calendário será o mesmo que o de todo mês, começando em 16 de abril e terminando em 30 de junho.

A equipe afirmou que o pagamento não será liberado para saques em um primeiro momento. Assim que a Caixa receber os cadastros analisados pelo Dataprev, vai conseguir mapear quantos e onde estão esses brasileiros que não são bancarizados e dividirá em turnos para que não haja aglomerações nas agências da Caixa e do Banco do Brasil.

Nos casos de quem tem uma conta do tipo poupança na Caixa, o benefício será disponibilizado no aplicativo “Caixa Tem”, que a Caixa dará mais detalhes em breve. Mas, o usuário poderá movimentar o dinheiro sem custos a qualquer outra conta bancária. De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, “pela primeira vez, os brasileiros terão uma conta de graça”.

Leia também:

Veja como usar o app da Caixa para receber o auxílio emergencial de R$ 600

Para ter direito ao benefício, o trabalhador tem que cumprir cumulativamente alguns requisitos. São eles: 

– ser maior de 18 anos;
– não ter emprego formal ativo;
– não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial ou beneficiário do seguro-desemprego;
– não ser beneficiário de programa de transferência de renda federal, exceto beneficiário do Bolsa Família, que receberá automaticamente o benefício de maior valor;
– ter renda familiar mensal per capita de até meio salário-mínimo ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos;
– não ter recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70; 
– e exercer atividade na condição de microempreendedor individual (MEI), contribuinte individual da Previdência Social ou trabalhador informal, de qualquer natureza, inscrito no Cadastro Único do Governo Federal.

Mais Recentes da CNN