Em meio à pandemia, 63% das empresas perderam faturamento, diz FecomercioSP

A maioria não fez empréstimos nem financiamentos para continuar operando

Loja limita entrada de clientes em meio à reabertura gradual do comércio e serviços por conta da pandemia de coronavírus
Loja limita entrada de clientes em meio à reabertura gradual do comércio e serviços por conta da pandemia de coronavírus Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Amanda Calazans, especial para o Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) mostrou que 63% das empresas paulistas observaram o faturamento diminuir desde o início da pandemia de Covid-19, enquanto 72% delas sofreram com redução de volume dos clientes. A sondagem foi realizada entre abril e maio e buscou levantar os impactos da crise sanitária sobre os negócios de cerca de cem empresas.

O estudo ainda mostrou a percepção que os negócios tinham antes da pandemia: 54% declararam ter condição estável no faturamento, 31% avaliaram as condições como boas e 14% disseram que passava por dificuldades.

A maioria (71%) não fez empréstimos nem financiamentos para continuar operando.

Para a retomada, a FecomercioSP orienta que os empresários “reduzam custos, reavaliem contratos, solicitem empréstimos para alavancar os negócios e aumentem o capital de giro, de forma a saldar antigas dívidas”.

Quanto ao poder público, os entrevistados apontaram medidas que poderiam ajudar, como renegociação de prazos de impostos (56%), ampliação de linhas de crédito (52%) e redução de juros de empréstimos passados (44%).

Mais Recentes da CNN