Em nova baixa, equipe econômica perde secretário de gestão, Wagner Lenhart

Lenhart era um dos principais responsáveis pela elaboração da reforma administrativa. Com ele, 13 membros da equipe já saíram desde o início da gestão

Prédio do Ministério da Economia, em Brasília
Prédio do Ministério da Economia, em Brasília Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília 

Ouvir notícia

 

O time do ministro da Economia, Paulo Guedes, teve mais uma perda com a saída do secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal, Wagner Lenhart, que deixará o cargo para iniciar um “novo ciclo pessoal e profissional”. No lugar dele, assume o atual Secretário Adjunto, Leonardo José Mattos Sultani.

Lenhart era um dos principais responsáveis pela elaboração da reforma administrativa e, em nota, afirmou que o projeto realizado até aqui continuará. “Nossa gestão sempre considerou fundamental repensar a administração pública, propondo um modelo mais digital, moderno e focado no cidadão”. 

 

A saída de Lenhart já era cogitada quando o ex-secretário especial de Desburocratização Paulo Uebel, deixou o cargo, em agosto do ano passado. Isso porque Lenhart foi um dos poucos assessores que acompanhou Uebel para o time de Guedes depois de trabalharem juntos na prefeitura de São Paulo.

Outro motivo que influenciou a saída do secretário é a proximidade do nascimento de seu primeiro filho. Com ele, 13 membros da equipe econômica já saíram desde o início da gestão de Guedes. Entre eles, o ex-secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, em julho do ano passado, e o ex-secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintras. 

Outros dois assessores diretos de Guedes deixaram  o cargo no ano passado: foram Marcos Troyjo (comércio exterior) e Salim Mattar (desestatização). Além deles, o ex-presidente do Banco do Brasil, Ruben Novaes.

“Despeço-me grato pela oportunidade de servir ao meu país durante mais de dois anos e de trabalhar sob a liderança do Ministro Paulo Guedes, pessoa que eu já admirava e passei a admirar ainda mais neste período”, declarou.

Mais Recentes da CNN