Em nova revisão, mercado passa a prever queda de 3,34% no PIB em 2020

Nova redução para a contração da economia foi feita em meio à crise econômica global causada pela pandemia da COVID-19

Sede do Banco Central, em Brasília (16.mai.2017)
Sede do Banco Central, em Brasília (16.mai.2017) Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Anna Russi

da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

Os economistas do mercado financeiro, consultados pelo Banco Central, cortaram mais uma vez a projeção para a contração da atividade econômica em 2020. Na edição desta segunda-feira (27), o relatório semanal Boletim Focus traz a estimativa de uma contração de 3,34% no Produto Interno Bruto (PIB). 

A primeira previsão de queda do mercado para o índice veio exatamente há quatro semanas, com projeção de retração de 0,48%. A nova redução para a contração da economia foi feita em meio à crise econômica global causada pela pandemia da COVID-19, que traz risco de uma recessão global. 

Apesar da revisão, a projeção do mercado para a contração do PIB brasileiro neste ano segue abaixo da divulgada pelo Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI), que estimam tombos de 5% e 5,3%, respectivamente. 

Embora tanto o Ministério da Economia quanto o Banco Central também tenham revisado suas estimativas, as projeções oficiais ainda vêem estabilidade, ou seja, nem alta, nem queda do PIB neste ano.

Inflação 

O documento também traz uma nova redução na estimativa de inflação para 2020 de 2,23% para 2,20%. Essa é a sétima redução seguida do indicador.

A expectativa de inflação do mercado para este ano está abaixo do piso da meta de inflação, que tem o centro definido em 4% este ano, com tolerância de 2,5% a 5,5% neste ano. 

A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e, para alcançá-la, o BC eleva ou reduz a taxa básica de juros, a Selic.

Mais Recentes da CNN