Embraer deve cortar salários e jornadas em 25% e suspender contratos por 60 dias

Empresa diz que está negociando com diferentes sindicatos para tomar a decisão mais adequada

A empresa norte-americana Boeing comprou a fabricante de aviões brasileira em 2018 (28.fev.2018)
A empresa norte-americana Boeing comprou a fabricante de aviões brasileira em 2018 (28.fev.2018) Foto: Roosevelt Cassio/Reuters

Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Após duas semanas de licença remunerada e duas de férias coletivas (que se encerrarão na sexta-feira, 10), funcionários da Embraer deverão ter seus contratos suspensos por 60 dias ou a jornada de trabalho e o salário reduzidos em 25%. Essa foi a proposta apresentada pela empresa aos funcionários, na segunda-feira (6) segundo o sindicato da categoria.

A empresa afirma em nota que “está negociando com diferentes sindicatos para tomar a decisão mais adequada para proteger os colaboradores do contágio pelo coronavírus e, ao mesmo tempo, manter atividades essenciais para atender clientes e a população, de forma a preservar empregos e a continuidade dos negócios.”

“As novas medidas, ainda em discussão, incluem a possibilidade de redução da jornada de trabalho e suspensão temporária de contratos”, diz ainda o texto. 

Mais Recentes da CNN