Embraer negocia fusão da subsidiária Eve, e ações disparam 15%

Eve é uma empresa criada pela Embraer para acelerar o desenvolvimento do ecossistema de UAM (mobilidade aérea urbana) no mundo

Matheus Prado,

do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

 

As ações da Embraer dispararam 15,61% na B3 nesta quinta-feira (10), após a companhia confirmar em fato relevante que negocia a venda da sua subsidiária Eve. Trata-se, na verdade, de uma proposta de fusão com a SPAC Zanite Aquisition, que pode avaliar a empresa combinada em US$ 2 bilhões, segundo informações da Bloomberg.

“As negociações com a Zanite estão em curso. A companhia não pode prever se a Eve chegará a um acordo definitivo ou quais serão os seus termos”, diz o texto. “A companhia manterá o mercado informado de quaisquer desdobramentos relevantes no âmbito de tais negociações, na medida imposta pela legislação e regulamentação do mercado de capitais.”

A Eve é uma empresa independente criada pela Embraer para acelerar o desenvolvimento do ecossistema de UAM (mobilidade aérea urbana) no mundo. Para isso, tem colaborado com a operadora de helicópteros Helisul para criar soluções do gênero, aproveitando a infraestrutura de táxi aéreo no país para o uso por eVTOLs (veículos elétricos de decolagem e pouso vertical) da Eve.

Os SPACs, como a Zanite, são companhias “de fachada”, com poucos ou nenhum ativo operacional. Os gestores por trás do processo, chamados de sponsors, abrem capital apenas para levantar dinheiro de investidores e utilizar estes recursos para comprar empresas já existentes.

Por isso, o processo é chamado pelo mercado de “cheque em branco”. É a figura do sponsor, através do road show, que atrai os investidores, em geral qualificados. Depois disso, eles têm dois anos para investir em alguma companhia ou a empresa é desfeita e o dinheiro, devolvido aos investidores.

Veículo elétrico de decolagem e pouso vertical (eVTOL)
Veículo elétrico de decolagem e pouso vertical (eVTOL)
Foto: Embraer / Reprodução

Mais Recentes da CNN