Enauta atinge 18 milhões de barris de petróleo produzidos no campo de Atlanta

Produção começou em 2018 e volume extraído corresponde a menos de 2% do total de barris existentes no campo, de acordo com a empresa

Plataforma de petróleo
Plataforma de petróleo Foto: Divulgação/Petrobras

Denise Luna, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

A Enauta alcançou na segunda-feira, 26, a marca de 18 milhões de barris produzidos no campo de Atlanta, na bacia de Santos, desde o início da sua produção, em 2018, informou a petroleira. O volume corresponde a menos de 2% do total de barris existentes no campo, ressaltou.

Após três anos, a Enauta trabalha para estabilizar a produção do Sistema de Produção Antecipada (SPA) de Atlanta, que conta com três poços produtores. Hoje, o campo produz através de dois poços. Em agosto, está prevista a retomada da produção da terceira estrutura.

“Com uma lâmina d’água de 1.550 metros de profundidade (águas ultraprofundas), a conjugação de diferentes tecnologias em um arranjo inovador foi exigida para possibilitar a elevação do óleo pesado, com baixo teor de enxofre, até o FPSO (plataforma)”, disse a Enauta em nota.

De acordo com a empresa, o óleo atende às recomendações da IMO 2020 – regulamentação internacional que determina a redução de emissões de dióxido de enxofre – e possui excelente aceitação no mercado internacional.

“Devido a essas vantagens, a produção do campo de Atlanta tem sido comercializada nas refinarias com prêmio em relação à cotação do Brent”, destacou a empresa.

Em março deste ano, o processo de licitação do FPSO para o Sistema Definitivo foi iniciado, considerando um FPSO com capacidade para processar 50 mil barris por dia, ao qual estarão conectados de seis a oito poços produtores, três deles já em operação no Sistema de Produção Antecipada.

A estimativa é de que a conclusão do processo se dê em um prazo de dez a 12 meses a partir desta data, no primeiro trimestre de 2022.

A Enauta informou ainda, que reduziu, entre 2018 e 2020, em 28% as emissões de CO2/barril produzido no campo de Atlanta.

Mais Recentes da CNN