Enjoei.com, startup que nasceu como blog, convence e chegará à B3 valendo R$ 2 bi

A ação foi precificada na oferta em R$ 10,25, piso da faixa indicativa de preço e a demanda superou em três vezes a oferta

E-commerce em alta: Enjoei.com é uma das startups que vão estrear na B3
E-commerce em alta: Enjoei.com é uma das startups que vão estrear na B3 foto-reproducao-pixabay

Fernanda Guimarães,

do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Nascido como um blog em 2009, pelo qual eram vendidas roupas usadas a amigos, num modelo de brechó virtual, a startup Enjoei.com engatou sua história com investidores na pegada da “economia circular”, um importante pilar quando se trata de sustentabilidade.

A oferta movimentou R$ 1,1 bilhão em sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) e a startup estreia com um valor de mercado de R$ 2 bilhões. O debute da ação na B3, batizada de “Enju”, está marcada para a próxima segunda-feira, dia 09.

Leia também: 
A Gol mostra que a turbulência passou e ações devem subir – mas não tanto
Com Biden perto de 270 delegados, ação de empresa de energia solar dispara 300%

A ação foi precificada na oferta em R$ 10,25, piso da faixa indicativa de preço. Segundo uma fonte, a demanda superou em três vezes a oferta, exatamente quando outras empresas estão postergando operações, diante da seletividade do mercado.

Fundada por Ana Luiza McLaren e Tiê de Lima, a Enjoei nasceu em forma de blog, por meio do qual o casal usava para vender roupas usadas próprias e de amigos, como um brechó virtual. Desde o início, adotava uma linguagem próxima e bem-humorada, o que foi mantido ao longo dos anos.

Hoje, a Enjoei.com traz como grande atrativo, especialmente ao público jovem, além da linguagem, muitas lojas de famosos. E se antes se vendia apenas peças de roupas usadas, hoje em dia é um grande marketplace que se vende de tudo (de segunda mão, é claro). Ventiladores, peças dignas de um antiquário, livros, videogames (dos mais novos ao saudosista Atari). Enfim, tudo.

Dos recursos que irão ao caixa da empresa, R$ 618,84 milhões, o objetivo é utilizá-los para a expansão da marca e da base de usuários da Companhia, investimentos em políticas comerciais com foco em melhoria de conversão e recorrência, expansão do time para desenvolvimento do produto e soluções fintech.

“No Enjoei os usuários podem comprar e vender através de uma plataforma que inspira o engajamento e a descoberta. Nossa plataforma é comparável a navegar em uma rede social, com o benefício de estimular a oferta de produtos entre usuários. A compra e venda acontecem com segurança e facilidade, uma vez que todos os produtos e todas as pessoas estão conectadas pelas nossas soluções de oferta, entrega e pagamento”, diz o prospecto da oferta.

“Além disso, destinamos a cada cliente um espaço exclusivo onde ele pode criar a sua “lojinha” e oferecer os itens a amigos e outros usuários da plataforma. Desde o lançamento do Enjoei até 30 de junho de 2020, conectamos 1,5 milhão de compradores com 1,9 milhão de vendedores em nossa plataforma”, completa.

Foram coordenadores da oferta os bancos BTG Pactual, Bradesco BBI, JPMorgan, XP E UBS.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN