Entenda o aumento do preço do gás, que já passa de R$ 100 em alguns locais

Para tentar reduzir o preço, o presidente Jair Bolsonaro sugeriu a venda direta das distribuidoras aos consumidores 

Fernando Nakagawada CNN

Ouvir notícia

Nesta sexta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro sugeriu a venda direta das distribuidoras de gás de cozinha aos consumidores. O objetivo da proposta é tentar uma queda no preço do produto, que, conforme levantamento da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o preço médio do botijão de gás de 13 kg é de R$ 93. No entanto, já há locais em que esse valor passa de R$ 100.

O efeito da proposta de Bolsonaro pode ser limitado. Como explica o diretor do CNN Brasil Business, Fernando Nakagawa, na cadeia do gás, há o papel do envasador – que é a marca do gás, quem está colocando o gás dentro do botijão – e o revendedor, que repassa do envasador para o consumidor. 

O envasador não pode desaparecer.  A proposta do presidente é retirar a ponta, o revendedor. Mas isso teria um impacto muito marginal e não faria muita diferença, já que o preço do gás de cozinha está sendo impactado por outros fatores. Outro fator que está influenciando no aumento do gás é a alta do dólar.

Botijões de gás de cozinha
Botijões de gás
Foto: Pedro Ventura/Ag Brasília/Fotos Públicas

Mais Recentes da CNN