Entenda o que é a banda C do 5G, criticada por companhias aéreas nos EUA

Empresas de telecomunicações lançaram nova etapa do 5G, mas postergaram implementação em áreas próximas a aeroportos

Companhias aéreas alegam que torres de transmissão de 5G próximas a aeroportos atrapalham voos
Companhias aéreas alegam que torres de transmissão de 5G próximas a aeroportos atrapalham voos George Frey/Reuters

Samantha Murphy Kellydo CNN Business

Ouvir notícia

A próxima geração de tecnologia de internet sem fio agora é ainda mais rápida para usuários do 5G em algumas partes do país.

As empresas de telecomunicações lançaram redes 5G para vários locais nos Estados Unidos nos últimos anos, proporcionando uma experiência que ainda é apenas um degrau acima do que o 4G oferece.

Mas na quarta-feira (19), a Verizon e a AT&T ativaram suas redes 5G de banda C – um importante conjunto de frequências de rádio que impulsionará a internet como a conhecemos.

“O impacto será que os usuários provavelmente consumirão mais dados, a conexão será mais robusta e provavelmente veremos novos tipos de aplicações surgindo”, disse Dimitris Mavrakis, diretor sênior da empresa de pesquisa de mercado ABI Research.

“O 5G também está posicionado para serviços corporativos, portanto, essa atualização pode impulsionar ainda mais os planos de ambas as operadoras de abordar esse domínio”.

Se o termo banda C soa familiar, é provável que isso ocorra por causa de uma briga que dura semanas entre as operadoras de telefonia móvel AT&T e Verizon, a Agência Federal de Aviação e algumas companhias aéreas.

A AT&T e a Verizon anunciaram esta semana que as empresas atrasariam mais uma vez o lançamento do 5G de banda C em algumas torres em vários aeroportos do país.

A decisão ocorreu quando as companhias aéreas alertaram sobre consequências terríveis para o transporte e a economia geral, devido a preocupações de que a tecnologia de banda C recém-ativada pudesse interferir nos altímetros de radar que os pilotos usam para pousar em condições de baixa visibilidade.

As companhias aéreas estimam que 1.000 interrupções de voo ocorreriam a cada dia após o lançamento.

O grupo de lobby da indústria de telecomunicações CTIA disse anteriormente que os temores são infundados, já que não houve problemas em 40 países, incluindo Reino Unido, Austrália e China, onde o 5G já está implantado.

Mesmo assim, o atraso de última hora é o mais recente obstáculo no lançamento da tão badalada tecnologia. Houve lançamentos locais chamativos com usuários desapontados, batalhas em cidades sobre onde o equipamento pode ser instalado e conspirações sobre possíveis problemas de saúde relacionados.

Apesar do problema mais recente nos aeroportos, a AT&T – dona da empresa controladora da CNN – e a Verizon estão avançando com o lançamento da banda C em várias cidades. Aqui está o que você deve saber.

O que é a banda C?

A banda C refere-se às ondas de rádio que operam em uma frequência de espectro de banda média, entre 3,7 e 4 GHz. É considerada a frequência “global” para 5G em todo o mundo – a maioria das operadoras implantou 5G nessa faixa de frequência, pois oferece mais largura de banda, o que equivale a uma capacidade maior do sistema em velocidades de dados mais altas.

Pense assim: se o 3G é uma rodovia de duas pistas e o 4G é de seis pistas, o 5G tem 12 pistas. Ele lidará com esse aumento no tráfego e na largura de banda sem atrasos, permitindo, hipoteticamente, que veículos autônomos processem todas as informações de que precisam para tomar decisões de vida ou morte em um piscar de olhos, ou que o setor de saúde crie a próxima geração de telemedicina e cirurgias robóticas.

Em 2019, um cirurgião na China realizou um transplante de fígado em um animal de um local a 48 quilômetros de distância controlando um braço robótico rodando em 5G. O mesmo procedimento em uma rede 4G aumentaria a chance de erros.

As redes 5G anteriores da AT&T e da Verizon operavam no espectro de banda baixa, que tende a oferecer boa cobertura, mas velocidades que não são muito mais impressionantes do que o 4G. As implantações iniciais foram baseadas em versões anteriores dos padrões 5G que utilizavam 4G em conjunto com 5G.

Os clientes da AT&T e da Verizon que usam um telefone compatível com 5G em áreas com essas novas ondas de rádio poderão, por exemplo, transmitir um filme da Netflix em resolução 4K ou baixar um filme em segundos.

Como o 5G tem latência zero, um termo que se refere ao tempo que leva para o sinal ir e voltar de um aparelho para a rede, as pessoas que acessam as redes também podem jogar jogos com muitos dados e gráficos sem soluços, e esperar 30 minutos para baixar a versão mais recente do sistema operacional de um telefone será coisa do passado.

Quando a Comissão Federal de Comunicações colocou o espectro de banda C em leilão, a AT&T e a Verizon estavam entre as operadoras que gastaram US$ 81 bilhões para aproveitar as melhorias de velocidade.

A T-Mobile, que também opera no espectro de banda média, também comprou um espectro de banda C para usar a partir do próximo ano.

A Verizon disse que suas velocidades de banda C atingem quase 1 gigabyte por segundo, cerca de 10 vezes mais rápido que 4G LTE.

Quem pode acessar as novas redes?

Em um post na quarta-feira, a AT&T disse que está introduzindo o 5G de banda C – que está chamando de rede 5G + – em oito áreas metropolitanas nos Estados Unidos a partir de quarta-feira, com planos de expansão em mais cidades ao longo do ano.

A empresa disse que a rede funcionará com 17 telefones com banda C, incluindo as linhas iPhone 12 e 13, modelos Samsung Galaxy S21 5G e Pixel 6 e Pixel 6 Pro do Google.

Depois de baixar a atualização de software mais recente nesses telefones, qualquer pessoa no mercado 5G+ verá um “5G+” na parte superior do dispositivo quando a rede estiver disponível. Os assinantes da AT&T com um plano 5G poderão usar a rede.

Enquanto isso, a Verizon disse em um post separado no mesmo dia que sua nova rede 5G Ultra Wideband estará disponível para mais 100 milhões de pessoas este mês em mais de 1.700 cidades dos Estados Unidos, incluindo Chicago, Miami, Los Angeles e Nova York, e para mais de 20 milhões de famílias.

A operadora também oferecerá suporte a telefones como iPhones com capacidade para 5G, modelos Samsung Galaxy e Pixels do Google. Também anunciou uma série de planos, incluindo um plano de internet móvel e residencial 5G ilimitado, que será necessário para acessar a nova rede.

Um indicador “5G UW” aparecerá no canto superior direito do dispositivo quando um telefone 5G em um dos planos for detectado na rede.

As dicas

Embora a disponibilidade de 5G de banda C atraia qualquer pessoa que atualmente possua um smartphone compatível com 5G, o lançamento não afetará o consumidor médio de início. No entanto, iniciará um lançamento mais amplo que poderá impulsionar ainda mais a indústria 5G.

Ainda assim, será preciso lidar com as preocupações com as companhias aéreas e a FAA sobre segurança. O governo Biden disse na terça-feira (18) que está conversando ativamente com a FAA, a Comissão Federal de Comunicações, operadoras de telefonia móvel, companhias aéreas e fabricantes de equipamentos de aeronaves para encontrar uma solução que ainda permita o lançamento sem sacrificar a segurança dos voos.

“A razão pela qual as operadoras queriam lançar essas ondas de rádio é porque elas lhes dão uma enorme quantidade de nova capacidade para tráfego de celular”, disse Bill Menezes, diretor da empresa de pesquisa de mercado Gartner.

E há um incentivo decente para os consumidores também. “A esperança é que o 5G a todo vapor, como essas novas ondas de rádio ajudarão a fornecer, seja anos-luz mais rápido do que o Wi-Fi que você costuma obter nos aeroportos”, disse Menezes.

“Portanto, esperar por um voo ou atrasos de voo pode ser menos doloroso se você puder transmitir com mais facilidade jogos interativos ou vídeos 4K com qualidade total”.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN