Entenda por que a previsão do BC e do mercado divergem sobre PIB de 2022

Autoridade monetária vê alta de 2,1% do PIB em 2022, enquanto na va visão do mercado, a economia deve crescer 1,57% no ano que vem

Priscila Yazbekda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O Banco Central divulgou nesta quinta-feira (30), pela primeira vez, sua previsão para a economia do ano que vem. A autoridade monetária vê alta de 2,1% do PIB (Produto Interno Bruto) de 2022, número que diverge da projeção do mercado.

Na visão do mercado, refletida no Boletim Focus, que reúne a estimativa de mais de 100 instituições, o PIB deve crescer 1,57% no ano que vem.

Segundo a analista de Economia da CNN Priscila Yazbek, o que faz o Banco Central ser mais otimista que o mercado em relação ao crescimento econômico do Brasil em 2022 é o esfriamento da economia, que já começa neste ano.

No relatório, a instituição citou alguns pontos que justificam a projeção, como o arrefecimento da pandemia, as perspectivas positivas para a agropecuária e indústria extrativa e altos níveis de confiança que favorecem o mercado de trabalho.

O Banco Central também ressaltou que acredita que a inflação neste trimestre bata o pico de 10,2%, e depois suavize, apesar de ainda continuar alta no curto prazo. Para 2022, a instituição acredita que inflação irá bater a meta de 3,7%.

Para o mercado, a inflação também deve ter uma melhora em 2022, mas acredita que o número ficará em 4,12%, acima da meta estabelecida.

Mais Recentes da CNN