Entregadores de Uber, Rappi, Loggi e iFood fazem paralisação nesta sexta-feira

Ato, segundo o comunicado do grupo "Entregadores Unidos", foi organizado para reivindicar o pagamento de taxas de entrega mais justas

Empresa vai abrir mão de parte da sua comissão para ajudar restaurantes (19.mar.2020)
Empresa vai abrir mão de parte da sua comissão para ajudar restaurantes (19.mar.2020) Foto: iFood/Divulgação

Tamires Vitorio, do CNN Business Brasil, em São Paulo

Ouvir notícia

Motoristas e entregadores de aplicativos como a Uber, o iFood, a Rappi e a Loggi entraram em greve nesta sexta-feira (19). 

A paralisação, segundo o comunicado do grupo “Entregadores Unidos”, foi organizada para reivindicar o pagamento de taxas de entrega mais justas por parte dos apps.

Nas redes sociais está circulando um aviso sobre atos que ocorrem em São Paulo, noi Rio Grande do Sul, em Belo Horizonte, entre outros lugares. Em SP, os trabalhadores se reúnem na tarde desta sexta na tradicional Avenida Paulista — mesmo debaixo de chuva. 

A paralisação, no entanto, não parece atrapalhar as entregas realizadas pelos aplicativos. A reportagem fez um pedido em um dos apps de delivery em São Paulo e a entrega ocorreu de forma normal, dentro do período previsto e sem maiores problemas. 

Entregadores; greve
Foto: Marcio Pinheiro / CNN Brasil

Em nota enviada ao CNN Brasil Business, as companhias se posicionaram por meio da AMOBITEC – Associação Brasileira de Mobilidade e Tecnologia e afirmam que “implementaram, desde o início da pandemia, diversas ações de apoio aos entregadores parceiros, tais como a distribuição gratuita ou reembolso pela compra de materiais de higiene e limpeza, como máscara, álcool em gel e desinfetante, e a criação de fundos para o pagamento de auxílio financeiro para parceiros diagnosticados com Covid-19 ou em grupos de risco”.

“Além disso, os entregadores parceiros cadastrados nas plataformas estão cobertos por seguro contra acidentes pessoais durante as entregas”, diz o comunicado. 

As companhias também afirmam que “operam sistemas dinâmicos e flexíveis, que buscam equilibrar as necessidades de entregadores, de restaurantes e de usuários”.

“Diante de um cenário econômico como o da pandemia, a flexibilidade dos aplicativos foi essencial para que centenas de milhares de pessoas, entre entregadores, restaurantes, comerciantes e micro empresas, tivessem uma alternativa para gerar renda e apoiar o sustento de suas famílias”, continua. 

Por fim, a Amobitec reiterou que tem um diálogo aberto com os entregadores parceiros “para aprimorar a experiência de todos nas plataformas”.

Já o iFood disse que “o entregador parceiro é um elo importantíssimo para todo o ecossistema, unindo todas as pontas, os estabelecimentos parceiros e também toda a sociedade. A empresa continua comprometida, como sempre esteve, a criar diversas iniciativas para melhorar a experiência dos entregadores, sempre baseadas em escuta ativa e constante. A empresa acredita no poder da economia digital de gerar renda ao mesmo tempo em que dá liberdade de escolha a esses profissionais. O iFood também acredita em relações sustentáveis, nas quais todos ganham”. 

O CNN Brasil Business entrou em contato com a Loggi, mas não recebeu o posicionamento da companhia referente à paralisação até o momento de publicação desta reportagem. 

 

Mais Recentes da CNN