Esse não é o momento de sair da Bolsa, diz analista de mercado

Número de investidores chegou a 2,24 milhões em março deste ano

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia
 
As quedas nos juros nos últimos anos acabaram levando as pessoas a apostarem nas ações como uma nova forma de investimento.
 
Em março, o Ibovespa acumulou queda de 29,9%, a maior desvalorização mensal em 22 anos. Mesmo assim, a Bolsa de Valores brasileira atingiu um novo recorde: 2,24 milhões de pessoas físicas, um aumento de 33% em relação a 2019, e de 280% a 2018, quando o número era de 800 mil cadastros de pessoas físicas.
 
Apesar do aumento no número de investidores, esse público está bastante assustado com a pandemia do novo coronavírus.

Para o analista de mercado Raphael Figueredo, esse com certeza não é o momento para sair do mercado de ações. 

“De fato, a gente tem um cenário bem difícil de análise. Mas vamos lembrar que quem investe no mercado acionário precisa necessariamente entender que esse é um investimento de risco e ter uma visão de longo prazo. Não pode ser imediatista. Para quem tem um treinamento necessário para fazer esse tipo de investimento, essa é uma boa pedida”.

Questionado sobre o que leva as pessoas a toparem a entrar no mercado de ações, Figueredo afirma que esse cenário acaba sendo uma oportunidade, porque essa crise, em algum momento, vai passar.

“Se nós olharmos no relativo, está barato. A gente estava por volta de 119 mil pontos, e a bolsa caiu para 61 mil pontos na queda mais rápida da história de todo o nosso mercado. Mas, claro, é um barato para quem tem ‘estômago’, porque o indíce de volatilidade está muito alto.”

Mais Recentes da CNN