Está de home office e quer mudar de cidade? Veja o que é preciso ponderar antes

Antes de ligar para a empresa de mudança, aqui estão três perguntas que você precisa fazer ao departamento de RH

Home office: antes de optar por mudar de cidade, se certifique de que isso não vai impactar no seu trabalho e nos seus benefícios 
Home office: antes de optar por mudar de cidade, se certifique de que isso não vai impactar no seu trabalho e nos seus benefícios  Foto: Bench Accounting/Unsplash

Jeanne Sahadi,

do CNN Business

Ouvir notícia

Se você já vem fazendo home office nos últimos seis meses, pode estar pronto para uma mudança de cenário e estar levando bem a sério a ideia de mudar de casa.

Afinal, se você não precisa bater ponto no prédio da empresa, talvez  prefira estar mais perto da sua família (que pode ajudá-lo a cuidar das crianças!). Ou pode ser uma boa ideia viver num lugar onde você possa caminhar ou surfar quando não está trabalhando. Por fim, talvez você queira apenas mudar para algum lugar mais barato ou menos cheio de gente.

Leia também:
Bradesco diz sim ao home office e dará ajuda de custo de R$ 1 mil a colaborador
Odeia fazer home office? Veja dicas de como tornar o trabalho em casa melhor
Não é só o arroz: dólar e home office deixam TV, game e até livro mais caros

No entanto, se você está pensando em se mudar para outro estado ou região do país, leve em consideração como isso pode afetar seu trabalho, seu salário e seus benefícios.

Antes de ligar para a empresa de mudança, aqui estão três perguntas que você precisa fazer ao departamento de RH.

Minha empresa vai me deixar trabalhar em outro lugar?

Não importa se sua empresa é super legal e aceita numa boa o seu home office. Isso não significa que não haverá problema com você vivendo em outro lugar.

Se você se mudar para uma região onde sua empresa não tenha funcionários, filiais ou representantes, pode ser que ela precise pagar mais encargos administrativos e fiscais para cumprir suas obrigações legais como empregadora.

“Nem todos os empregadores estarão dispostos a permitir que os funcionários trabalhem fora do estado, porque isso pode significar obrigações adicionais de sua parte”, explicou Katie Brennan, consultora de conhecimento da Society for Human Resource Management.

Outro caso é que talvez seja empresa simplesmente queira a equipe de volta ao escritório assim que for seguro se reunir em grandes grupos novamente. Ou seja, ela pode não querer que os colaboradores se espalhem mundo afora agora.

A mudança afetará meu salário?

Isso varia de empresa para empresa – e do contrato vigente. 

No caso dos Estados Unidos, por exemplo, quanto você receberá dependerá em parte do custo da mão de obra de onde você escolher morar, segundo Tauseef Rahman, sócio especializado em estratégias de remuneração da consultoria de RH Mercer.

Portanto, se você se mudar para um local menos caro, onde a mão de obra é mais barata, você poderá receber menos. Num lugar com nível mais alto de salários, você pode receber mais.

Leia também:
Alguns funcionários no escritório, outros em home office: como fazer dar certo?
Home office: americanos estão transferindo o escritório para o quintal; entenda

Rahman alerta, porém, que se você tiver um emprego que é competitivo em nível nacional e que não exija necessariamente estar em um local fixo, pode haver uma diferença muito menor em seu salário do que o esperado. Isso porque seu empregador precisa competir por seus serviços com outras empresas.

Como meus benefícios serão alterados?

Nos Estados Unidos, por exemplo, as leis estaduais e locais regulam muitos benefícios que os empregadores oferecem.

O maior deles é o convênio médico. Você pode ter que mudar para outro plano oferecido por seu empregador se a seguradora que você tem agora não oferece cobertura no estado para onde você está se mudando.

Ou pode ser que nenhum dos planos de seguro oferecidos por seu empregador esteja disponível em seu novo estado ou região porque sua empresa não faz negócios lá. Será preciso que você estude o tema ou deixe a sugestão a cargo do empregador.

Outra coisa que pode mudar são os benefícios de licença remunerada – para melhor ou pior, dependendo de para onde você está indo.

Nos EUA, por exemplo, a Califórnia não permite que os empregadores que oferecem dias de férias remuneradas ou folgas remuneradas imponham uma política de tirar os dias de folga ou perdê-los, como fazem muitos outros estados. Em vez disso, esses dias são considerados ganhos que podem ser acumulados e que devem ser pagos quando você deixar o emprego.

Ou você pode ganhar ou perder um número mínimo exigido de dias por licença médica remunerada, dependendo da jurisdição para onde você se mudar, ainda no caso norte-americano.

Além disso, se houver qualquer alteração em seu contracheque quando você se mudar, isso mudará o quanto você paga de contribuição, já que ela é vinculada a seus ganhos.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Tópicos

Mais Recentes da CNN