Está difícil encontrar o PlayStation 5 e o Xbox Series X. Pode não ser por acaso

Apesar da previsão dos analistas de que o PS5 vai vender mais que o Xbox, o vencedor da guerra de consoles atual deverá ser quem tiver mais estoque disponível

O PlayStation 5, da Sony, e o Xbox Series X, da Microsoft: foram limitados de propósito?
O PlayStation 5, da Sony, e o Xbox Series X, da Microsoft: foram limitados de propósito? Foto: Divulgação/Sony/Microsoft

Shannon Liao, CNN Business, em Nova York

Ouvir notícia

O PlayStation 5 e o Xbox Series X esgotaram quase imediatamente após o lançamento. Clientes relataram ter dificuldade em encontrar os consoles em estoque, pois os sites falhavam na hora da compra. Para muitos, este ano foi mais difícil do que o normal levar para casa o lançamento mais recente.

A oferta de consoles não conseguiu acompanhar a grande demanda de 2020. Apesar da previsão dos analistas de que o PlayStation 5 vai vender mais que o Xbox Series X, o vencedor da guerra de consoles atual deverá ser quem tiver mais estoque disponível.

Os analistas têm diferentes teorias para explicar por que os consoles venderam tão rapidamente.

Leia também:
PlayStation 5: vale a pena comprar? CNN Business testou o novo console da Sony
PS5, Xbox: é mais barato comprar agora ou esperar por Black Friday e Natal?

A maioria pensa que a Sony e a Microsoft limitaram de propósito o número de unidades produzidas.

As margens de lucro no novo PS5 e do Xbox Series X são provavelmente “tênues ou até mesmo negativas”, de acordo com o diretor de pesquisa de jogos da IDC, Lewis Ward, por isso fez sentido definir limites de produção. Segundo ele, a Sony e a Microsoft provavelmente consideraram níveis de produção que não sobrecarregassem os fabricantes e a cadeia de suprimentos – mas que, ao mesmo tempo, não provocassem perdas de receita.

A Sony não está ganhando muito dinheiro com o PS5 e não queria superproduzir o console à beira de uma recessão, observou Michael Pachter, analista da Wedbush. Essa teoria está em linha com um relatório de abril da Bloomberg, segundo o qual a Sony estava planejando limitar a produção do PS5 em seu primeiro ano. A empresa não respondeu a um pedido de entrevista.

Outra possibilidade é que a Covid-19 tenha desempenhado um papel na oferta limitada.

O analista sênior da Niko Partners, Daniel Ahmad, acha que o PS5 e o Xbox Series X continuarão com oferta restrita nesta temporada de final de ano, por causa do impacto da pandemia na produção e na logística. Ahmad também disse que os dois consoles tiveram baixos rendimentos durante a produção inicial e “levarão algum tempo para escalar e atender à demanda”.

A Microsoft disse ao CNN Business, no entanto, que sua nova produção de hardware para o Xbox não foi afetada pela pandemia e que começou a produzir “tantos novos consoles quanto possível”. A empresa acrescentou que os consoles, incluindo um Series S mais barato, foram lançados em 40 países e certamente “venderá todos os novos Xbox” que for capaz de produzir este ano.

“Estamos construindo novos consoles Xbox o mais rápido que podemos para atender à demanda”, reforçou a Microsoft.

Quem ganha: Xbox ou PlayStation?

Por enquanto é difícil dizer qual console vendeu mais no lançamento.

De acordo com uma pesquisa com mais de 2 mil jogadores realizada pela empresa de pesquisa de marketing CivicScience, 12% dos norte-americanos com mais de 13 anos planejam comprar o PS5, enquanto 10% disseram estar interessados no novo Xbox. E os compradores do Xbox eram mais propensos do que os do PS5 a comprar os dois consoles.

Foi um ano extremamente forte nas vendas de videogames para a indústria em geral, já que muitas pessoas se voltaram para os jogos como entretenimento durante a pandemia. Mas a recessão e o desemprego ainda podem prejudicar o setor. Analistas prevêm vendas menores desses consoles em 2021.

“O final de ano não terá um impacto”, opinou Mat Piscatella, diretor executivo de jogos do NPD Group. Ele estimou que cerca de 125 milhões de norte-americanos participaram de jogos eletrônicos nos últimos seis meses, mas que um novo produto normalmente não vende mais de 2 milhões de unidades durante sua primeira temporada de férias devido a restrições de fornecimento.

 

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Veja também: Pesquisa diz que 54% das pessoas farão compras online na Black Friday


 

Mais Recentes da CNN