Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Estados Unidos investiga Brasil e outros países por imposto sobre big techs

    A tarifa incluiria serviços como publicidade digital, intermediação de vendas de bens e servicos em plataformas e vendas de dados de usuários

    Logo do Facebook: Os impostos atingiriam uma ampla gama de empresas americanas como as gigantes Amazon, Google, Facebook
    Logo do Facebook: Os impostos atingiriam uma ampla gama de empresas americanas como as gigantes Amazon, Google, Facebook Foto: Dado Ruvic/Reuters (18.jun.2014)

    Raquel Landimda CNN

    Ouvir notícia

    O representante de Comércio dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, informou nesta terça-feira (2) que iniciou uma investigação contra países que adotaram ou estão avaliando impostos sobre serviços digitais, incluindo o Brasil.

    “O presidente Donald Trump está preocupado porque muitos de nossos parceiros comerciais vem adotando esquemas de taxas desenhados para injustamente atingir as empresas americanas”, disse Lighthizer. Trump é aliado do presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

    Além do Brasil, outros noves países também estão sob escrutínio: Áustria, República Checa, União Europeia, Índia, Indonésia, Itália, Espanha, Turquia e o Reino Unido.

    No caso brasileiro, ainda não existe um imposto em vigor para transações digitais, mas o Congresso avalia um projeto de lei conhecido como Cide-digital. O PL 2358/20, de autoria do João Maia (PL-RN), prevê um taxa de 1% a 5% sobre o faturamento de grandes empresas de tecnologia.

    A tarifa incluiria serviços como publicidade digital, intermediação de vendas de bens e servicos em plataformas e vendas de dados de usuários. A medida atingiria uma ampla gama de empresas americanas como as gigantes Amazon, Google, Facebook, etc.

    Pela proposta, o dinheiro arrecadado seria direcionado ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDC). O projeto está tramitando na Câmara dos Deputados.

    Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

    Mais Recentes da CNN