Estoque de crédito sobe em junho e alcança R$ 4,2 trilhões, diz Banco Central

O valor também é 0,9% maior que o registrado em maio deste ano

Dinheiro / real
Dinheiro / real Foto: Priscila Zambotto / Getty Images

Anna Russi,

do CNN Brasil Business, em Brasília

Ouvir notícia

Com alta de 16,3% ante mesmo mês do ano anterior, o estoque de operações de crédito atingiu R$ 4,214 trilhões em junho. O valor também é 0,9% maior que o registrado em maio deste ano. 

Os números são da Nota Monetária de Crédito, divulgada nesta quarta-feira (28) pelo Banco Central (BC). A concessão de crédito foi de R$ 425 bilhões, 9,6% a mais que em junho do ano passado. 

Para pessoas físicas, o saldo das operações de crédito cresceram 17,5% ante junho de 2020 e 1,5% em relação a maio deste ano. Já para pessoas jurídicas, a alta foi de 14,8% e 0,1%, na comparação anual e mensal, respectivamente. 

Com 2,3% do saldo total das operações, a inadimplência permaneceu estável em relação ao mês imediatamente anterior, mas caiu 0,6 ponto percentual ante junho de 2020. 

Nos recursos livres, o estoque de crédito atingiu R$ 2,471 trilhões em junho, com crescimento de 16,7% ante junho do ano passado. Ainda nesse segmento, a concessão de crédito somou R$ 377 bilhões no período, com alta de 5%. 

Já o crédito com recursos direcionados, que é aquele subsidiado por governos, somou R$ 1,743 trilhão em junho. O valor é 15,7% maior que o registrado em junho do ano passado. A concessão de crédito totalizou R$ 48 bilhões, com alta de 57,2%.

Mais Recentes da CNN