Bolsas dos Estados Unidos fecham em alta após dados de confiança do consumidor

Investidores estão atentos às atualizações sobre a variante depois que a Alemanha, Escócia, Irlanda, Portugal, Holanda e Coreia do Sul adotaram novamente medidas restritivas

Touro de Wall Street em Manhattan, Nova York
Touro de Wall Street em Manhattan, Nova York REUTERS/Carlo Allegri

Shreyashi SanyalAnisha Sircarda Reuters

São Paulo

Ouvir notícia

Os principais índices de Wall Street subiram nesta quarta-feira (22) em um amplo rali após resultados otimistas sobre confiança do consumidor, e outros dados econômicos, e expectativas positivas sobre a gravidade da variante Ômicron do coronavírus, que está varrendo o mundo.

Os índices fecharam em alta pela segunda sessão consecutiva, em meio a um aumento na volatilidade.

De acordo com dados preliminares, o S&P 500 subiu 1,02%, para 4.696,73 pontos. O Nasdaq Composite avançou 1,18%, para 15.521,89 pontos. O Dow Jones subiu 0,74%, para 35.755,28 pontos.

Investidores também buscaram atualizações sobre a variante Ômicron depois de Alemanha, Escócia, Irlanda, Portugal, Holanda e Coreia do Sul adotarem novamente lockdowns e outras restrições.

“Estamos realmente vendo dias de vendas significativas em sequência seguidos de um dia de retomada. Isso nos leva de volta a território neutro e precifica alguns dos novos obstáculos, incluindo a rapidez da transmissão da variante Ômicron e o engavetamento do projeto (de estímulo nos EUA)”, disse Art Hogan, estrategista-chefe de mercado da National Securities.

Seis dos 11 principais setores do S&P 500 tiveram alta nesta sessão.

Tesla Inc saltou 7,49%, liderando os ganhos entre empresas de megacapitalização de mercado. De acordo com entrevista divulgada na terça-feira, o CEO da empresa, Elon Musk, disse que vendeu “ações suficientes” para alcançar seu plano de vender 10% de sua carteira.

Mais Recentes da CNN