Ministro começa nesta terça-feira ‘tour do 5G’, que passará por China e Suécia

A Suécia é o lar da Ericsson, um dos principais fornecedores de equipamentos de telecomunicações da Europa e o maior rival da chinesa Huawei

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, em sua cerimônia de posse
O ministro das Comunicações, Fábio Faria, em sua cerimônia de posse Foto: Alan Santos/PR (17.jun.2020)

Leonardo Guimarães,

do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

O ministro das Telecomunicações, Fábio Faria, anunciou nesta terça-feira (2) que visitará China, Suécia, Finlândia, Coreia do Sul e Japão para tratar sobre a tecnologia do 5G. Faria vai conversar com CEOs de empresas que oferecem estrutura para a tecnologia. O “tour do 5G” começa nesta terça e termina no dia 13 de fevereiro. 

A Suécia é o lar da Ericsson, um dos principais fornecedores de equipamentos de telecomunicações da Europa e o maior rival da chinesa Huawei. A China também é sede da ZTE. Na Finlândia, a grande empresa do setor é a Nokia. A Coreia do Sul abriga a Samsung, e o Japão tem a gigante de telecomunicações NTT Docomo. 

“Vamos visitar empresas, conversar com os CEOs, ministros das telecomunicações e ministros da infraestrutura”, disse Fábio Faria, em pronunciamento. 

O ministro comemorou o resultado da votação do edital do leilão do 5G na Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). O Conselho Diretor da agência já formou maioria para aprovar o documento. A votação foi interrompida por um pedido de vista do presidente do órgão, mas três dos cinco conselheiros votaram a favor da aprovação do edital. 

Uma das determinações do edital é a criação de uma rede privativa de alta segurança e criptografada para a comunicação entre os órgãos da administração pública federal. O ministro das Comunicações disse ainda que a rede pode ser operada por empresas privadas, e não pela Telebras, como prevê o documento. 

Caso a rede privativa não seja operada pela Telebras, será preciso um novo decreto. “A escolha do operador da rede privativa será feita com base em termos técnicos e preço”, disse Faria.

“Nada decidido” sobre o 5G

Na sexta-feira (29), o analista Caio Junqueira apurou que o governo brasileiro decidiu não impor qualquer tipo de restrição aos chineses na política da tecnologia 5G no Brasil em portaria publicada sobre o tema. 

Com a decisão, o Palácio do Planalto atendeu a uma das principais reivindicações da China em um momento em que os dois países se reaproximam. O país asiático ajudou o Brasil na tentativa de acelerar a exportação de insumos para a fabricação da vacina no Brasil.

No último sábado (30), o presidente Jair Bolsonaro disse: “Vamos ouvir todo mundo, não tem nada decidido” sobre a implementação do 5G no Brasil. 

Mais Recentes da CNN