FGV: Minério mantém IGP-10 em queda, mas preços ao consumidor aceleram em outubro

Seis das oito classes de despesa componentes do IPC registraram acréscimo em suas taxas de variação

Unidade de mistura de minério de ferro em porto na China
Unidade de mistura de minério de ferro em porto na China 21092018REUTERS/Muyu Xu

Luana Maria Beneditoda Reuters

Ouvir notícia

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) registrou em outubro queda de 0,31%, depois de recuar 0,37% no mês anterior, com o minério de ferro continuando a aliviar a inflação ao produtor, embora a pressão para o consumidor tenha aumentado.

O dado informado nesta sexta-feira (15) pela Fundação Getulio Vargas (FGV) levou o acumulado em 12 meses a alta de 22,53%. A expectativa em pesquisa da Reuters para o dado mensal era de queda de 0,38%.

Medindo a variação dos preços no atacado e respondendo por 60% do índice geral, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) recuou 0,77% no mês, ante queda de 0,76% em setembro.

“O preço do minério de ferro registrou nova queda, agora de 19,46% e, mais uma vez, manteve a taxa do IGP-10 em terreno negativo”, escreveu André Braz, coordenador dos índices de preços. Em setembro, o minério de ferro também havia registrado recuo, embora ligeiramente mais acentuado, de 22,17%

“Milho (-4,99%) e bovinos (-4,11%) também registraram taxas negativas, o que contribuiu para o arrefecimento das pressões inflacionárias ao produtor”, afirmou Braz.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10), que responde por 30% do índice geral, acelerou o avanço para 1,26% em outubro, de 0,93% no mês anterior.

Seis das oito classes de despesa componentes do IPC registraram acréscimo em suas taxas de variação. O grupo Habitação acelerou a alta para 1,67%, de 1,33% anteriormente, enquanto os Transportes ampliaram os ganhos a 1,23%, contra 0,97% no mês anterior.

“Os preços ao consumidor seguem sob forte influência dos aumentos registrados para energia elétrica e combustíveis”, disse André Braz. A tarifa de eletricidade residencial acelerou a alta para 5,41% em outubro, de 3,06% antes, enquanto os preços da gasolina avançaram 2,49%, ante 1,72% em setembro.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez teve alta de 0,53% em outubro, depois de subir 0,43% em setembro.

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Mais Recentes da CNN