FMI: Vacinação acelerada contra Covid acrescentaria US$ 9 tri à economia global

Diretora-gerente da organização mostrou preocupação com ritmos divergentes de recuperação econômica entre países

Sede do FMI, em Washington, EUA (08/04/2019)
Sede do FMI, em Washington, EUA (08/04/2019) REUTERS

Gabriel Caldeira, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, afirmou que a economia global geraria mais US$ 9 trilhões em recursos ao longo de cinco anos caso a vacinação contra a Covid-19 fosse acelerada ao redor do mundo, a partir da alocação de US$ 50 bilhões para o combate à crise sanitária.

Durante painel na Conferência de Montreal nesta segunda-feira (13), Georgieva disse considerar a imunização global a “principal política econômica” para o futuro próximo.

Dos US$ 9 trilhões que seriam adicionados à economia, cerca de US$ 1 trilhão iria para economias avançadas por meio de receitas e tributos, segundo ela.

Ainda que espere um crescimento robusto, ao redor de 6%, do Produto Interno Bruto (PIB) global em 2021, e acima de 4% em 2022, Georgieva afirmou estar preocupada com a “divergência perigosa” que se forma entre as recuperações de países que estão vacinando suas populações e que puderam liberar medidas de apoio fiscal ao longo da pandemia, e aqueles que têm dificuldade para fazer ambos.

Para a diretora-gerente do FMI, as medidas de apoio não devem ser retiradas neste momento, uma vez que a crise sanitária não terminou. Ela advogou, no entanto, a favor de um suporte mais “direcionado” a setores econômicos e sociais específicos.

Mais Recentes da CNN