Fundo JBS pela Amazônia vai receber US$ 450 mil da Elanco Foundation por 3 anos

Fundo foi criado pela JBS no ano passado com o objetivo de contribuir para a preservação do bioma e o desenvolvimento sustentável da região

A Amazônia abriga a maior bacia hidrográfica do mundo, a Bacia Amazônica, que detém 20% da água doce do planeta
A Amazônia abriga a maior bacia hidrográfica do mundo, a Bacia Amazônica, que detém 20% da água doce do planeta Foto: Kevin Schafer/ GettyImages

Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

 

O Fundo JBS pela Amazônia vai receber US$ 450 mil da Elanco Foundation, por um período de três anos, dentro do projeto RestaurAmazônia, disse a JBS ao Broadcast Agro, em nota.

Esse projeto, conforme a companhia brasileira do setor de carnes, é uma das seis primeiras iniciativas selecionadas para receber investimentos do Fundo JBS pela Amazônia, criado pela JBS no ano passado com o objetivo de contribuir para a preservação do bioma e o desenvolvimento sustentável da região, além de melhorar a renda e a qualidade de vida das comunidades locais.

“A Elanco Foundation é a primeira organização externa a contribuir para um dos programas selecionados pelo Fundo JBS pela Amazônia”, cita a empresa brasileira. Os recursos serão direcionados para a Fundação Solidaridad, organização internacional da sociedade civil que lidera a implementação do projeto.

 

A presidente do Fundo JBS pela Amazônia, Joanita Maestri Karoleski, comenta que a JBS dobrará o aporte da parceira, “seguindo o compromisso anunciado em 2020”. O RestaurAmazônia deve beneficiar 1.500 famílias de produtores rurais ao longo da Transamazônica, no Pará, nos municípios de Novo Repartimento, Pacajá, Anapu e Altamira.

“Um modelo de desenvolvimento sustentável, já testado e aprovado, será escalado para alcançar uma área de 75 mil hectares”, comenta a JBS. “Tal modelo se baseia na agricultura de baixa emissão de carbono, promovendo a recuperação e o melhor uso de áreas degradadas e a adoção de Sistemas Agroflorestais (SAF), que combinam a cultura do cacau com a vegetação nativa da região.”

Desta forma, os objetivos gerais do projeto são aumentar a produtividade da pecuária de cria em 22%; a produtividade de cacau em 40%; preservar mais de 30 mil hectares de floresta; reduzir as emissões de gases do efeito estufa em 53% e aumentar a renda dos produtores familiares em 30%.

Mais Recentes da CNN